Saúde Coletiva na Odontologia: saúde bucal para todos

Saúde coletiva na odontologia

16/04/2021 | Por: Odonto Busca Conteúdo

“Promover a saúde coletiva no desempenho de suas funções, cargos e cidadania, independentemente de exercer a profissão no setor público ou privado”. Esse é um dos deveres fundamentais do cirurgião-dentista, que está previsto no Código de Ética Odontológica. Mas você sabe de que forma essa Saúde Coletiva na Odontologia acontece? É o que abordaremos nesse artigo.

Veja o que será abordado sobre o assunto:

  • A importância da Saúde Coletiva na Odontologia
  • Saúde Coletiva X Saúde Pública: qual é a diferença?
  • No que consiste a Saúde Coletiva na Odontologia
  • Política Nacional de Saúde Bucal
  • Promoção e Proteção de Saúde
  • Saúde Coletiva na Odontologia: internet como aliada
  • Recuperação e reabilitação
  • Baixa prevalência de cárie e melhoria da qualidade de vida
  • Saúde Coletiva na Odontologia também é especialidade profissional

A importância da Saúde Coletiva na Odontologia

Saúde coletiva na odontologia

Saúde coletiva na odontologia atua antes que as doenças apareçam

Diferente do que muitos pensam, cuidar da saúde não é só tratar doenças. Mas, acima de tudo, atuar antes que elas apareçam.

Seja por meio da prevenção de enfermidades ou da promoção da saúde, o que contribui diretamente para a melhoria da qualidade de vida.

Além disso, não basta dizer ao indivíduo que ela precisa escovar os dentes após as refeições, usar fio dental diariamente e diminuir a ingestão de açúcares.

É preciso avaliar sua situação e ajudá-lo a enxergar de que forma isso pode ser possível dentro da sua realidade e do contexto em que ele está inserido.

E, mais, pensar em alternativas para que isso aconteça de fato, sem tantos obstáculos.

Em simples palavras, é justamente sobre isso que trata a Saúde Coletiva na Odontologia. Mas não apenas isso, conforme veremos no decorrer desse artigo.

Saúde Coletiva X Saúde Pública: qual é a diferença?

Antes de falarmos sobre a Saúde Coletiva na Odontologia, é importante abordarmos alguns conceitos básicos, como a diferença entre saúde pública e saúde coletiva.

Apesar de muitas vezes serem utilizadas como sinônimos, essas duas áreas de conhecimento possuem diferenças relevantes entre si.

De forma geral, na saúde pública, o conceito de saúde equivale à ausência de enfermidades.

É uma área de conhecimento mais assistencial, voltada para o diagnóstico e tratamento de doenças e para o atendimento a quem procura.

Já na saúde coletiva, evitar doenças e prolongar a vida não é suficiente. É preciso, acima de tudo, melhorar a qualidade de vida da população.

E, isso, por meio de um modelo de atenção integral à saúde, que inclua ações de promoção e de proteção, além das de recuperação.

No que consiste a Saúde Coletiva na Odontologia

Importante destacar que a realidade, tanto da saúde pública, quanto da saúde coletiva, não se restringe às definições apresentadas anteriormente.

É algo muito mais abrangente que renderia um outro artigo a respeito. A breve referência às mesmas é apenas com o intuito de contextualizar a discussão.

No que diz respeito à Saúde Coletiva na Odontologia, podemos dizer que se trata de uma atuação complexa que vai muito além da assistência a pacientes doentes.

Mas que passa, sobretudo, pela promoção da boa qualidade de vida e pela intervenção de fatores que a comprometem, deixando o processo de desenvolvimento de ações e serviços de saúde muito mais humanizados.

O que significa uma construção conjunta entre profissionais e usuários para que as consultas sejam espaços de conhecimento, responsabilização e autonomia para cada paciente.

Mas, para isso, se faz extremamente necessário conhecer a realidade local e entender as condições socioeconômicas e de vida, hábitos, necessidades, o que fazem quando adoecem e para prevenir doenças, entre outros fatores.

Consequentemente, isso possibilitará ao profissional um maior conhecimento para atuar na promoção, prevenção, tratamento e reabilitação daquele povo.

Política Nacional de Saúde Bucal

Até 1998, 30 milhões de brasileiros nunca tinham ido ao dentista, conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Com o objetivo de mudar essa realidade, ampliando o atendimento e melhorando as condições de saúde bucal da população brasileira, é que o Ministério da Saúde lançou o Brasil Sorridente.

Isso em 2004, sendo considerada a primeira vez em que o governo federal desenvolveu uma política nacional de saúde bucal.

A ideia era apresentar diretrizes para reorientar as concepções e práticas no campo da saúde bucal a fim de propiciar um novo processo de trabalho focado no conceito do cuidado.

Além de criar fluxos com ações resolutivas centradas no acolher, informar, atender e encaminhar, com o objetivo de melhorar a qualidade desses serviços e investir na humanização das práticas.

No que tange a assistência, o foco principal era a ampliação e qualificação da atenção básica para possibilitar a ampliação da oferta de serviços e o acesso de todos os públicos: crianças, adolescentes, adultos e idosos.

Isso por meio da promoção, prevenção e recuperação de saúde bucal, conforme veremos a seguir.

Promoção e Proteção de Saúde

Saúde coletiva na odontologia

Ações educativo-preventivas ajudam a reduzir os fatores de risco que podem provocar doenças e ameaçar a saúde

A Saúde Coletiva na Odontologia inclui uma série de ações educativo-preventivas, que podem ser realizadas tanto individualmente, quanto coletivamente.

Além de reduzir os fatores de risco que podem provocar doenças e ameaçar a saúde do indivíduo, essas ações visam disseminar informações sobre os fatores de proteção à saúde.

O que contempla:

  • Oportunidades de acesso à água tratada e fluoretada
  • Viabilização de políticas públicas de incentivo à fluoretação das águas
  • Acesso a escovas e cremes de dentes com flúor
  • Garantia de cuidados odontológicos básicos apropriados
  • Aplicação tópica de flúor
  • Incentivo à alimentação balanceada e saudável
  • Orientação sobre os prejuízos de uma dieta cariogênica
  • Estímulo às práticas de autocuidado com a higiene corporal e bucal
  • Realização de atividades de higiene bucal supervisionada
  • Conscientização sobre os males do tabagismo
  • Combate à automedicação
  • Entre outros.

Veja também: Flúor na água estraga os dentes?

                         A aplicação de flúor e seu papel na prevenção da cárie dentária

Saúde Coletiva na Odontologia: internet como aliada

No que diz respeito à área de educação, a internet vem sendo uma grande aliada para a saúde coletiva na odontologia.

Hoje em dia, temos as redes sociais que são importantes ferramentas para desmistificação de determinadas questões, difusão de conhecimento e orientação dos mais diferentes assuntos.

Mas, claro, como complemento às ações de promoção de saúde realizadas em outros âmbitos, em prol da sociedade.

Sua grande vantagem está na possibilidade de atingir um maior número de pessoas, de forma mais fácil e rápida.

Inclusive com espaço para interações, esclarecimentos de dúvidas e muito mais. O que não exclui, importante reiterar, as consultas regulares com o profissional dentista.

Recuperação e reabilitação

Importante abordar também as ações de recuperação da saúde, com destaque para a necessidade do diagnóstico precoce.

Neste caso, faz-se necessário incluir, nos atendimentos e consultas de rotina, ferramentas que facilitem essa identificação, como biópsias e exames complementares.

Outra questão que merece atenção é o fato de o tratamento ser iniciado o quanto antes para evitar a evolução da doença e o surgimento de complicações.

Importante, ainda, priorizar a realização de procedimentos conservadores, ou seja, que mantém os elementos dentários.

Isso com o objetivo de mudar o padrão que era seguido até pouco tempo, de extração dentária e mutilação.

Inclui-se também as ações de reabilitação, a fim de ajudar o paciente a recuperar, de forma parcial ou total, as capacidades perdidas após a doença.

Bem como reintegrá-lo no seu ambiente social e atividade profissional.

Baixa prevalência de cárie e melhoria da qualidade de vida

Pouco tempo depois da implantação da Política Nacional de Saúde Bucal, o Brasil saiu da condição mundial de média para baixa prevalência de cárie dentária.

A segunda edição da Pesquisa Nacional de Saúde Bucal, realizada em 2010, mostrou que o indicador do país passou a ser 2,1. Em 2003, era 2,8.

Ou seja, as estatísticas revelaram que os investimentos em medidas de promoção da saúde bucal contribuíram diretamente para a melhoria da qualidade de vida da população brasileira.

O que deixa claro a importância da Saúde Coletiva na Odontologia.

Veja ainda: Cárie: Saiba como evitar, suas causas e tratamentos

                    Sintomas de cárie vão além da dor de dente

Saúde Coletiva na Odontologia também é especialidade profissional

Saúde Coletiva também é uma especialidade odontológica

Para quem não sabe, a Saúde Coletiva também é uma especialidade odontológica, que visa estudar os fenômenos que interferem na saúde coletiva.

Isso por meio de análise, organização, planejamento, execução e avaliação de sistemas de saúde, dirigidos a grupos populacionais, com ênfase na promoção de saúde.

Conforme consta na Resolução 63/2005, do Conselho Federal de Odontologia, as áreas de competência para atuação do especialista em Saúde Coletiva incluem:

  • Análise sócio epidemiológica dos problemas de saúde bucal da comunidade;
  • Elaboração e execução de projetos, programas e/ou sistemas de ação coletiva ou de saúde pública visando à promoção, ao restabelecimento e ao controle da saúde bucal;
  • Participação, em nível administrativo e operacional de equipe multiprofissional, por intermédio de:
  1. Organização de serviços;
  2. Gerenciamento em diferentes setores e níveis de administração em saúde pública;
  3. Vigilância sanitária;
  4. Controle das doenças;
  5. Educação em saúde pública; e,
  • Identificação e prevenção das doenças bucais oriundas exclusivamente da atividade laboral.

Você também vai gostar de ler