Saiba o que é o briquismo e como ele pode prejudicar sua saúde bucal

briquismo

05/04/2021 | Por: Odonto Busca Conteúdo

Você já ouviu falar de briquismo? Este é um termo que costuma ser bastante associado ao bruxismo e muitas vezes até adotado como seu sinônimo, inclusive.

Essas duas disfunções realmente apresentam grandes semelhanças, como o fato de prejudicar a saúde bucal se não receber o devido tratamento.

Por outro lado, elas também possuem diferenças, conforme apresentaremos neste artigo. Veja tudo que será abordado sobre o tema:

Briquismo: um hábito parafuncional

Entenda, primeiramente, o que é o bruxismo

O significado de briquismo

Um problema multifatorial

Os impactos na saúde bucal

A importância do diagnóstico profissional

Como aliviar as dores causadas pelo briquismo

As principais formas de tratamento

Uma rotina leve e prazerosa pode ser o melhor remédio

Briquismo: um hábito parafuncional

briquismo

Briquismo é um hábito parafuncional, ou seja, que pode fazer parte da sua vida de forma despercebida

Antes de explicarmos o que é o briquismo e no que ele se diferencia do bruxismo, é importante termos em mente que o mesmo se trata de um hábito parafuncional.

Mas você sabe, ao certo, o que isso significa? São costumes que fazem parte da nossa rotina e do nosso dia-a-dia de forma involuntária. Ou seja, fazemos sem perceber.

É o caso, por exemplo, de quem tem mania de roer unhas, apertar os lábios, arrancar as cutículas com os dentes ou morder objetos, entre tantas outras.

Eles têm esse nome porque não possuem função específica. Pelo contrário, apesar de serem recorrentes, eles não são inofensivos como muitos pensam.

Quando realizados em excesso e por longos períodos, podem inclusive ocasionar sérios problemas para a saúde bucal.

O briquismo, por exemplo, acaba sobrecarregando a Articulação Temporomandibular (ATM), conjunto de músculos e articulações responsáveis pelos movimentos do maxilar.

No decorrer deste artigo, você vai entender de que forma isso acontece e como contornar essa situação.

Entenda, primeiramente, o que é o bruxismo

Para ficar mais fácil de entender o que é o briquismo, primeiramente é preciso saber o que é o bruxismo e como ele acontece.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o bruxismo acomete cerca de 30% da população mundial.

Já no Brasil, essa disfunção é ainda mais comum. A estimativa é de que 40% dos brasileiros tenham esse problema.

Em simples palavras, o bruxismo consiste no ato involuntário de ranger ou apertar os dentes mesmo dormindo.

Alguns especialistas o definem como um distúrbio do sono, que é desencadeado por mecanismos neurofisiológicos e neuroquímicos.

O que quer dizer que ranger os dentes durante o sono acaba sendo uma forma de descarregar toda a tensão que foi acumulada durante o dia.

Mas a tensão não é a única causa, conforme veremos mais adiante.

O significado de briquismo

Briquismo e bruxismo muitas vezes são tratados como sinônimos não é à toa. De certa forma, eles são praticamente a mesma coisa.

A diferença está, basicamente, na forma em que ambos se manifestam. Enquanto o bruxismo acontece na parte da noite, durante o sono, o briquismo ocorre com a pessoa acordada.

Ou seja, é o hábito de apertar constantemente os dentes e manter a boca tensionada no decorrer do dia.

Também conhecido como bruxismo em vigília ou apertamento desperto, o briquismo também é um ato inconsciente, um hábito parafuncional, conforme vimos anteriormente.

No período diurno, o apertamento dental, caracterizado pela pressão entre os dentes em direção única, costuma ser mais comum do que o rangimento dos dentes.

Costuma acontecer constantemente, de forma rítmica, sobretudo em situações estressantes, que exigem uma maior atenção ou que geram ansiedade.

Um problema multifatorial

Uma rotina estressante ou situações tensas podem desencadear essa disfunção

Como se trata de um hábito involuntário e inconsciente, muitas pessoas ficam intrigadas querendo entender o que pode estar por trás disso.

A verdade é que tanto o briquismo, quanto o bruxismo são problemas multifatoriais, ou seja, podem ser desencadeados por vários fatores, inclusive de diferentes naturezas.

Os fatores emocionais costumam ser a principal causa do apertamento dental e do rangimento dos dentes no período diurno. Sobretudo situações de estresse, tensão e ansiedade.

Mas o fato é que algumas pessoas ainda podem apresentar predisposição genética, mas isso não é regra, pois até mesmo acontecimentos pontuais podem desencadear o briquismo.

Além disso, tabagismo, drogas ilícitas e consumo excessivo de café, bebidas alcoólicas ou outras bebidas estimulantes também podem desencadear o problema.

Assim como medicamentos que inibem a recaptação de serotonina, como os utilizados para tratar síndromes depressivas e transtornos de ansiedade e personalidade.

Os impactos na saúde bucal

O briquismo, assim como o bruxismo, pode comprometer a qualidade de vida do paciente e afetar sua saúde bucal de diferentes formas.

A começar pelos problemas de sono e pelas cefaleias e dores musculares.

Com o tempo, essas disfunções também podem causar desgastes dentários, lesões na língua, retração gengival e doenças periodontais.

Além disso, como acabam sobrecarregando o sistema mastigatório, ainda podem ocasionar desordens articulares nas ATMs, entre outros problemas.

A importância do diagnóstico profissional

Por se tratar de um hábito parafuncional, muitas pessoas acabam não tendo consciência de que apertam ou rangem os dentes.

No caso do bruxismo noturno, é bem comum que familiares escutem o barulho do paciente rangendo os dentes durante o sono e o alertem a respeito.

Mas no caso do briquismo, que acontece durante o dia, o recomendável é se observar, principalmente diante de situações tensas e estressantes ou que exigem concentração.

Outros fatores que podem indicar a hora de buscar ajuda profissional são sinais de dores no maxilar, por menores que sejam, e limitações funcionais.

É importante não esperar os sintomas se agravarem ou até mesmo os impactos ficarem visíveis para buscar tratamento.

Isso porque, mais do que aliviar os desconfortos, é preciso eliminar os fatores de risco para evitar que as consequências surjam.

Não é à toa que, na consulta odontológica, o profissional dentista faz uma série de perguntas sobre histórico familiar, uso de medicações, hábitos e comportamentos, entre outras.

Além de avaliar sintomas, queixas e realizar o exame clínico e até mesmo solicitar exames complementares, se necessário.

Como aliviar as dores causadas pelo briquismo

Medicamentos e práticas relaxantes podem ajudar a controlar o problema

A verdade é que, assim como o bruxismo, o briquismo não tem cura, mas pode ser controlado por meio de algumas ferramentas.

No caso do briquismo, especialmente, é importante que o paciente tente administrar sua ansiedade e desenvolva o autocontrole para não apertar os dentes.

Para auxiliar nesse processo, alguns profissionais costumam prescrever ansiolíticos ou medicações relaxantes e até recomendar certos tratamentos, conforme veremos a seguir.

Mas é importante ter em mente que na grande parte dos casos de briquismo, mudanças na rotina são necessárias e determinantes para o sucesso do tratamento.

As principais formas de tratamento

No consultório odontológico, o briquismo e o bruxismo são tratados, na maior parte das vezes, por meio de dois procedimentos.

O primeiro é a placa protetora, um dispositivo móvel confeccionado em silicone ou resina acrílica, no formato exato da mordida do paciente para ser ajustado na superfície dos dentes.

Ele pode ser usado tanto na hora de dormir quanto no decorrer do dia, ou até mesmo nos dois casos, conforme necessidade do paciente e recomendação do profissional dentista.

O objetivo principal dessas placas de tratamento, que também são conhecidas como placa de mordida ou miorrelaxante, é proteger os dentes.

Isso porque elas ajudam a restringir o movimento dos músculos mastigatórios e a reduzir o atrito responsável pelo abalo e desgaste dentário.

O outro procedimento é a aplicação da toxina botulínica, popularmente conhecida como botox, que também pode ser realizada pelo cirurgião-dentista.

Por meio de agulhas superfinas, essa substância é aplicada nos músculos da mastigação, como o masseter e o temporal, em cada lado da face.

Um procedimento simples, rápido e minimamente invasivo que ajuda a diminuir a contração e a tensão muscular, reduzindo a força utilizada no apertamento e rangimento dos dentes.

O que, consequentemente, trata as dores orofaciais causadas pelo briquismo, bem como dores de cabeça de origem odontológica.

A grande vantagem deste método é que não precisa da colaboração do paciente, como acontece com a placa. Ou seja, a proteção garantida por ele é por todo o dia.

Mas é importante lembrar que seu efeito é temporário, o que demanda reaplicações semestrais, normalmente.

Veja também: Botox para bruxismo: um grande aliado no tratamento

Uma rotina leve e prazerosa pode ser o melhor remédio

Grande parte dos pacientes com briquismo ou bruxismo que buscam ajuda profissional esperam que medicações ou procedimentos garantam o alívio das dores e a resolução do caso.

Mas a verdade é que de nada adianta investir nos mais diferentes recursos medicamentosos ou terapêuticos, se o paciente continuar levando uma rotina agitada e estressante.

Por isso, alguns cuidados devem ser tomados, como:

  • Buscar alternativas para relaxamento dos músculos como, por exemplo, aplicar compressas mornas nos dois lados do rosto ou realizar exercícios faciais
  • Alguns especialistas defendem que comer maçã pode ajudar a fadigar o músculo e relaxá-lo
  • Realizar atividades físicas moderadas, regularmente
  • Não deixar a rotina agitada tomar conta dos prazeres diários
  • Investir em uma alimentação saudável
  • Cuidar da saúde mental, seja por meio de terapia, meditação ou outro recurso
  • Realizar uma higienização do sono, sobretudo evitando aparelhos eletrônicos antes de dormir
  • Tomar cuidado sobretudo com as crianças que são naturalmente mais ansiosas ou com maiores responsabilidades pois elas não estão livres do briquismo e do bruxismo

Você também vai gostar de ler