Prótese Parcial Removível: Por que e quando ela se torna necessária?

prótese parcial removível

15/03/2021 | Por: Odonto Busca Redação

Perder um dente já incomoda bastante. Perder mais de um pode ser extremamente agoniante e prejudicial. Além do aspecto estético que fica bastante comprometido, a saúde bucal como um todo também fica, devido às lacunas deixadas pelos dentes perdidos. Nestes casos, a Prótese Parcial Removível (PPR) pode ser uma boa solução. Assim como qualquer outra prótese, o modelo móvel tem o papel de recuperar a forma, função e aparência dos dentes.

Apesar de muitas pessoas acreditarem que o principal objetivo do tratamento com Prótese Parcial Removível seja repor as estruturas perdidas, na verdade, seu objetivo primordial é proteger e preservar as estruturas remanescentes, conservando a integridade da saúde bucal. Neste artigo, você fica por dentro sobre o tratamento com prótese parcial removível, seus benefícios e cuidados.

A Prótese Parcial Removível

Como a Prótese Parcial Removível é presa à arcada?

A limpeza da PPR

O que muda na mastigação

Dúvidas mais comuns

Durabilidade

Confeccionando o novo sorriso

Vantagens e desvantagens

Quando a PPR é indicada

A Prótese Parcial Removível

A Prótese Parcial é utilizada quanto há perda parcial de dentes. Ela é um aparelho protético que substitui os dentes naturais perdidos em arcadas nas quais ainda existem dentes naturais remanescentes. Ela é, ainda, removível, uma vez que pode ser retirada pelo paciente quando este bem entender. Entretanto, este aparato não pode ser utilizado em todas as situações, ou seja, não é para todos. Há casos em que somente a Prótese Parcial Fixa (PPF) poderá ser usada para ocupar os espaços dos dentes perdidos.

De um modo geral, as Próteses Parciais Removíveis são indicadas pelos dentistas para casos de perda de um número grande de dentes e, principalmente, quando ausentes os últimos dentes, ou seja, os chamados posteriores. Em média, a Prótese Parcial Removível é mais barata do que a Fixa. A PPR é de fácil adaptação quando bem executada. Entretanto, é necessário que o paciente considere um tempo mínimo para a acomodação da prótese à boca e sua adaptação.

Como a Prótese Parcial Removível é presa à arcada?

A PPR se fixa à boca do paciente por meio de grampos semiflexíveis metálicos, os quais são apoiados nos dentes naturais que, neste caso, recebem o nome de dentes pilares, se tornando um verdadeiro apoio para o aparato. Além disso, são projetadas para se acoplarem perfeitamente nas gengivas das áreas sem os dentes.

Ainda assim, é possível fazer uso de Prótese Parcial Removível sem grampos. Para isso, usa-se um aparelho removível que se adapta aos encaixes, chamados attachments, colocados em coras protéticas cimentadas sobre alguns dentes naturais remanescentes. Por isso, seu custo acaba sendo mais elevado do que o modelo com grampos, principalmente devido às técnicas sofisticadas para a sua execução. Logo, essa prótese é indicada somente quando a questão estética se faz fundamental.

prótese parcial removível

Cuidados

Muitas pessoas se preocupam com a presença dos grampos. A preocupação prioritária costuma ser se os grampos estragam os dentes naturais, já que são acoplados neles. A verdade é que, se feitos com as técnicas corretas e cuidados satisfatoriamente pelos pacientes, esses aparatos não estragam os dentes. Um dos principais cuidados que a pessoa que usa um PPR deve ter é higienizá-la corretamente.

A placa bacteriana que forma a cárie ao se fixar nos dentes também se fixa nas superfícies dos dentes. O perigo está justamente aí. Com higiene bucal adequada e frequente os dentes se manterão sadios mesmo com os grampos acoplados. Por isso, é importante conversar com o dentista para verificar como melhorar a rotina bucal, como deve ser feita a escovação e qual o fio dental mais indicado para estes casos.

Uma prótese mal cuidada provavelmente deverá ser substituída por uma nova. Um outro cuidado é com a alimentação. Alimentos muito duros ou crocantes podem fazer com que o grampo da prótese se desloque, machucando a mucosa do paciente.

 A limpeza da PPR

Como a limpeza da Prótese Parcial Removível é coisa séria, vamos lá! Ela sempre deve ser removida para a limpeza adequada após as refeições. Para higienizá-las, deve-se usar escovas de dentes especiais, as quais conseguem alcançar as superfícies internas, facilitando o processo. Por exemplo, a escova cilíndrica.

Assim como remover bactérias, fungos e restos de alimentos da boca é essencial para a saúde dos dentes, a limpeza das próteses também é considerada fundamental. Pessoas que usam próteses também devem fazer visitas periódicas ao dentista. Este hábito é importante para manter a saúde bucal sempre em dia e o correto funcionamento das próteses. O dentista é quem faz essa análise e indica se alguma alteração ocorreu e se algo precisa ser reajustado.

O que muda na mastigação

É fato que dentes artificiais não são tão eficientes quanto os dentes naturais. Por isso é imprescindível cuidar bem deles para que não precisem ser substituídos. No caso da Prótese Parcial Removível, a mastigação será mais eficiente se o seu número de dentes artificiais for pequeno. Além disso, uma prótese mal adaptada pode apresentar consequências negativas na mastigação e fala, provocando mais perda dentária no futuro.

Na Odontologia chama-se de dento-suportada quando existem dentes naturais nos dois extremos vizinhos ao espaço desdentado e quando os dentes do arco antagonista são naturais ou prótese fixas. Vale dizer que, apesar dessa observação, a mastigação não deixa de ser eficiente, só não pode ser comparada à dos dentes naturais.

Dúvidas mais comuns

prótese parcial removível

Uma das dúvidas mais frequentes de quem avalia a colocação das próteses parciais removíveis é se elas devem ser retiradas para dormir. Desde que apresentem condições de retenção, suporte a estabilidade e não esteja causando nenhum desconforto aos dentes ou aos tecidos gengivais, a resposta é não.

Entretanto, alguns profissionais orientam seus pacientes a não usarem a prótese para dormir devido à diminuição do fluxo salivar neste período. Esta diminuição da saliva favorece o acúmulo de placa e de resíduos nas peças protéticas. Portanto, o ideal é conversar com o seu dentista e seguir as orientações para o seu caso. Por falar na remoção desse aparato da boca, é bom lembrar que é necessário ter uma atenção extra na hora de inserir e remover o elemento. Movimentos bruscos e descuidados aumentam os riscos de quebrar o acessório ou os grampos.

Durabilidade

Outra dúvida muito comum diz respeito à durabilidade do aparato. Esta é uma questão cuja resposta depende muito dos cuidados do paciente. Por isso, é muito difícil dar uma previsão, uma vez que vários fatores fogem do controle do dentista. Entretanto, é possível afirmar que podem durar até dez anos em boas condições de uso, embora orienta-se trocá-la a cada 5 anos. Seu prazo de validade também está ligado à perda óssea que, com a falta dos dentes, é gradual ao longo dos anos.

Para que isso seja possível, são necessários uma boa execução do aparato, cuidados caseiros diários, tais como a higienização adequada e a boa escovação dentária; e revisões periódicas feitas com o dentista. Todos estes itens são fundamentais para garantir a longevidade da PPR. Outra ponto a ser observado são as consultas ao dentista, que devem ser feitas a cada 3 meses para controle. Nelas, as próteses são avaliadas, assim como as estruturas circundantes, como gengivas, dentes e mucosas, já que o desgaste das peças deve ser observado, o que indica se é hora ou não de trocar.

Mas quando aderir à Prótese Parcial Removível? Somente quando há perda de mais de um elemento dentário ou quando a prótese fixa não é a opção mais indicada para o paciente. O importante é fazer uma consulta com o dentista, pois como dizem, cada caso é um caso.

prótese parcial removívelConfeccionando o novo sorriso

O uso da Prótese Parcial Removível começa com a moldagem completa da arcada dentária do paciente. Então, poderá ser confeccionada a sua estrutura. Assim, quando pronta, o paciente é chamado novamente ao consultório para experimentar a prótese e realizar os possíveis ajustes. Todas estas fases são importantes e fundamentais para o conforto do paciente e longevidade da prótese.

Importante dizer que a prótese não deve machucar nem causar feridas na boca ou até mesmo dificuldade para se alimentar. É certo que, no início, o aparato pode incomodar um pouco, já que requer adaptação, mas machucar não é certo. Se esses sinais ocorrerem, recomenda-se procurar novamente o dentista para alinhar o tratamento.

Vantagens e desvantagens

Sem dúvida, uma das principais vantagens da Prótese Parcial Removível é justamente o fato dela poder ser retirada para a higiene bucal, o que facilita bastante o processo e reforça os cuidados. Outro ponto relevante é o tempo para confecção dessa prótese também, considerado rápido. Além disso, o seu valor é mais acessível em relação às outras alternativas similares a este modelo.

Dentre as desvantagens, está a aparência. A estética fica comprometida devido aos grampos metálicos que ficam aparentes. Assim, antes que qualquer decisão seja tomada, é preciso se informar bem sobre o tratamento para evitar surpresas desagradáveis.

Quando a PPR é indicada

Na maioria das vezes, a Prótese Parcial Removível é indicada quando o paciente não pode utilizar a prótese dental fixa. A Prótese Fixa é aquela feita com o implante de pinos para a fixação. Isso ocorre, quando o paciente tem um baixo nível ósseo, por exemplo. Sendo assim, muitas vezes o implante é impossibilitado, sendo a prótese removível a solução mais indicada para esse caso.

Será que os implantes são para você? Saiba como funcionam as próteses fixas.

A presença de problemas periodontais, como a gengivite, também favorece a indicação do aparato removível. Mas há, ainda, um outro tipo de prótese. Elas são conhecidas como prótese removível imediata e são instaladas logo após a extração de algum dente, impedindo que o paciente saia desdentado do consultório logos após o ato cirúrgico. Ou seja, é uma prótese provisória.

 

 

Você também vai gostar de ler