Pasta de dente caseira é mesmo uma boa opção?

pasta de dente caseira

12/03/2021 | Por: Odonto Busca Conteúdo

Basta uma pesquisa rápida na internet que, imediatamente, surgem dezenas de receitas de pasta de dente caseira.

Essa alternativa para o creme dental industrializado, não é só uma forma de economizar. Mas, sobretudo, uma opção para quem busca menos química e mais saúde.

Sua produção conta com ingredientes naturais que prometem combater as bactérias nocivas que vivem na nossa boca por meio de suas propriedades antifúngicas, anti-inflamatórias, entre outras.

Mas será mesmo que ela é tão eficiente quanto o creme dental fabricado pelas grandes indústrias? Mais do que isso, é uma opção segura?

Continue lendo esse artigo para saber as respostas dessas e de outras perguntas relacionadas à pasta de dente caseira.

As vantagens da pasta de dente caseira

A importância do creme dental na escovação

Qual é o problema do creme dental industrializado?

Como fazer pasta de dente caseira

Os ingredientes mais utilizados

Por que não usar a pasta de dente caseira

O que limpa os dentes é a escovação

As vantagens da pasta de dente caseira

Fazer seu próprio creme dental em casa também é uma forma de ajudar a reduzir os impactos ao meio ambiente

A pasta de dente caseira vem sendo uma alternativa bastante adotada por pessoas que fazem questão de praticar o consumo consciente e minimizar os danos ao meio ambiente.

Além disso, é uma opção para quem deseja fugir dos processos químicos e investir em produtos mais naturais, pensando no melhor para sua saúde.

Isso significa que, mais do que uma forma de economizar, o creme dental feito em casa é um recurso sustentável, ecológico e menos tóxico.

Outra grande vantagem é que a maioria das receitas conta com ingredientes fáceis de serem encontrados em supermercados e lojas de produtos naturais.

Inclusive, é bem possível que você tenha algum deles em casa e que o utilize para outras finalidades, conforme veremos mais adiante.

Além do mais, essas receitas são muito fáceis de serem preparadas. Muitas nem chegam a ir ao fogo, conforme veremos no próximo tópico.

A importância do creme dental na escovação

Antes de abordar os contras do creme dental industrializado e explicar como a pasta de dente caseira ela é produzida, é importante destacarmos o papel desse item na escovação.

Em conjunto com uma escova de dente adequada, o creme dental tem papel fundamental na remoção dos resíduos que insistem em permanecer na nossa boca após nos alimentarmos.

O que acaba contribuindo diretamente para a eliminação da placa bacteriana que fica na superfície do dente e é responsável por tantas alterações bucais.

Isso acontece por meio dos mais diferentes componentes químicos que compõem o creme dental, sobretudo os agentes abrasivos e ativos.

Enquanto o primeiro atua de forma mecânica no processo de limpeza, ou seja, diretamente sobre os dentes, o segundo age na eliminação das bactérias presentes na cavidade oral.

O que muitos ainda ignoram é que uma escovação eficiente não depende de muita pasta e nem espuma, mas de outros fatores que serão apresentados no decorrer desse artigo.

Qual é o problema do creme dental industrializado?

Apesar de sua eficácia, os cremes dentais industrializados passaram a ser boicotados pelos mais diferentes motivos por algumas pessoas.

A começar pelo fato de as pastas tradicionais conterem microesferas de plástico em sua composição.

Ainda que a indústria afirme que não são prejudiciais à saúde, alguns especialistas defendem que elas podem sim favorecer o desenvolvimento de doenças periodontais, por reterem bactérias junto à gengiva.

Substâncias como o fluoreto de sódio, sódio-lauril-sulfato e triclosan também são vistas com maus olhos por algumas pessoas.

E inclusive associadas à problemas como intoxicação, desgastes no esmalte dentário, processos alérgicos marcados por vermelhidão e coceira, e sangramento na gengiva, que pode ter diferentes causas.

Outra questão é que muitas marcas contêm ingredientes de origem animal e, pior, são até mesmo testadas em animais.

Além disso, a maioria das embalagens são feitas de plástico e, como são raramente lavadas antes do seu descarte, acaba comprometendo o processo de reciclagem.

Como fazer pasta de dente caseira

As receitas que encontramos na internet contam com uma grande variedade de ingredientes naturais, que possuem as mais diferentes propriedades.

Além disso, são várias as formas de preparo. Enquanto algumas demandam cozimento ou infusão, em outras é preciso apenas juntar os ingredientes em um recipiente e misturá-los.

A consistência pastosa e cremosa é a mais esperada, contudo, as receitas que utilizam óleo de coco podem ficar mais líquidas. Também existem as versões em pó.

O mais indicado é que a pasta seja armazenada em um pote de vidro limpo e esterilizado, que deverá ser mantido na geladeira.

Além disso, é importante não colocar a escova de dentes em contato direto com a mistura.

O ideal é retirar uma pequena quantidade da pasta caseira com a ajuda de uma colher e aplicá-la na escova.

Os ingredientes mais utilizados

pasta de dente caseira

Óleo de coco e cúrcuma estão entre os ingredientes mais utilizados na pasta de dente caseira

Há opções de pasta de dente caseira para todos os gostos e bolsos. Contudo, existem alguns produtos que aparecem mais nas receitas, inclusive por serem mais fáceis de serem encontrados em supermercados ou casas de produtos naturais. Confira alguns deles:

  • Bicarbonato de sódio: além de ser alcalino, o que favorece um ambiente com pH inadequado para proliferação das bactérias, suas propriedades abrasivas auxiliam na retirada da placa bacteriana. Deve ser usado com cautela para não danificar os dentes.
  • Óleo de coco: bastante conhecido pelo seu uso culinário, também é utilizado nas receitas de pastas dentais caseiras porque possui ação antibacteriana, antifúngica e anti-inflamatória e, por isso, inibe o crescimento das bactérias nocivas à saúde bucal.
  • Cúrcuma: também chamada de açafrão-da-terra, possui uma série de propriedades farmacológicas, tais como ação antioxidante, antibacteriana e anti-inflamatória. Algumas pessoas a utilizam sem qualquer preparo, diretamente na escova.
  • Argilas: apesar de serem mais conhecidas nos tratamentos faciais e capilares, as argilas branca, verde e bentonita também são utilizadas nas receitas de cremes dentais caseiros. Contudo, é importante verificar no rótulo se elas são próprias para ingestão.
  • Aloe vera: popularmente conhecida como babosa, tem propriedades medicinais, inclusive efeitos benéficos no controle das bactérias que causam cáries e em outros tratamentos odontológicos, como gengivite.
  • Juá: extraído do juazeiro, o pó de juá costuma ser utilizado pelo seu potencial em combater a cárie, placa bacteriana e mau hálito. Além disso, também é uma alternativa adotada para clarear os dentes.
  • Xilitol: além de garantir um sabor mais adocicado à mistura, ajuda a remineralizar o esmalte dentário, por meio da estabilização dos íons de cálcio e fosfato da saliva, e a inibir o desenvolvimento das bactérias que causam cárie.
  • Óleos essenciais: assim como a canela, as essências de hortelã, menta, cravo e laranja são utilizadas para dar sabor e sensação refrescante, além de terem propriedades analgésicas, antissépticas, entre outras.

Por que não usar a pasta de dente caseira

Por outro lado, existem profissionais que não recomendam a produção e utilização da pasta de dente caseira.

Além de defenderem que não existe nenhuma comprovação científica sobre sua eficácia e benefício para a saúde bucal, muitos alegam que este tipo de creme dental pode até mesmo trazer prejuízos para os dentes.

Isso porque, conforme já mencionado, na internet é possível encontrar as mais diferentes receitas e, na maior parte das vezes, é impossível identificar suas autorias.

Isso significa que existe um grande risco de elas terem sido desenvolvidas por pessoas totalmente leigas no assunto e de contarem com ingredientes indevidos, em quantidades desproporcionais.

É o caso dos produtos altamente abrasivos, que podem desgastar a superfície do esmalte dentário e até mesmo destruir restaurações estéticas.

Outro risco que existe é em relação à sua conservação. Se não for armazenada da forma adequada, por exemplo, pode inclusive favorecer a proliferação de fungos e bactérias.

Para os que buscam uma alternativa mais sustentável e dentro dos padrões de segurança, os cremes dentais veganos podem ser uma boa opção.

O que limpa os dentes é a escovação

Mais importante do que o tipo, modelo, marca, cor e sabor do creme dental adotado, é a forma que ele será utilizado.

De nada adianta produzir a sua própria pasta de dente caseira ou até mesmo comprar a mais cara do mercado se não realizar a escovação de forma correta.

Por isso, é importante se manter atento à algumas questões:

  • Realizar a escovação pelo menos três vezes ao dia, principalmente após as refeições.
  • Dar atenção especial à higienização noturna, já que a produção de saliva diminui quando dormimos, o que facilita a ação bacteriana.
  • O processo de escovação deve prolongar-se por pelo menos três minutos para garantir uma eficiente limpeza.
  • A escovação pode ser iniciada com movimentos leves, curtos e circulares, sempre lembrando de passar a escova nas superfícies externa e interna dos dentes.
  • Fazer movimentos suaves de vai e vem para escovar a parte plana da superfície da mastigação.
  • Também são bem-vindos movimentos de cima para baixo, na arcada superior, e o oposto na arcada inferior, como se estivesse “varrendo a sujeira”, para limpar o sulco gengival.
  • Não se pode esquecer de escovar a parte interna das bochechas e a língua. E nem de utilizar corretamente o fio dental ao menos uma vez por dia .
  • Também é importante escolher uma escova dental adequada e trocá-la a cada três meses ou assim que ela manifestar desgastes.

Sem esquecer da importância em manter consultas regulares com um profissional dentista para acompanhar, de perto, a saúde bucal.

Em uma delas, vale até conversar com o odontólogo para saber sua avaliação sobre a pasta de dente caseira e receber as devidas orientações sobre sua fabricação e utilização.

Você também vai gostar de ler