Gengiva sangrando: conheça as principais causas e tratamentos

raspagem periodontal

17/02/2021 | Por: Odonto Busca Conteúdo

Provavelmente, em algum momento da sua vida, você já deve ter se deparado com sua gengiva sangrando ao escovar os dentes ou ao passar o fio dental.

E, certamente, esse sangramento deve ter lhe causado algum tipo de preocupação, por menor que seja.

Gengiva sangrando pode até ser um problema oral comum, mas isso não significa que é algo normal.

Pelo contrário, em muitos casos esse sangramento pode significar problemas de saúde que precisam de tratamento.

Neste artigo, você vai entender porque isso costuma acontecer, quais são as principais complicações e como prevenir e tratar o sangramento na gengiva.

Confira os pontos que serão abordados sobre este assunto:

Gengiva sangrando: questões que merecem atenção

Atuação profissional é primordial para conhecer causas e tratamentos

Gengiva sangrando: escovação pode ser culpada

Alerta para quem escova os dentes de forma rápida e superficial 

Gengiva sangrando pode ser gengivite?

Periodontite pode significar gravidade da situação 

Gengiva sangrando também pode ser sinal de alerta para problemas de saúde

Investindo em uma boa higiene bucal para combater as bactérias

Outros tipos de tratamento para sangramento gengival

Gengiva sangrando: questões que merecem atenção

gengiva sangrando

O mais comum é que o sangramento gengival aconteça durante a escovação

Gengiva sangrando pode ser sinônimo de apreensão para muitas pessoas. Mas é preciso manter a calma ao se deparar com esse tipo de situação.

Isso porque, em muitos casos, conforme veremos mais adiante, a adoção de simples hábitos já pode ajudar a minimizar o problema.

Contudo, algumas questões devem ser observadas para saber se este é ou não o seu caso. Como, por exemplo, quando começou o sangramento, sua frequência e extensão.

Também é preciso considerar se a gengiva sangrando é um distúrbio que acontece apenas na hora da escovação ou na utilização do fio dental.

Ou até mesmo se esse sangramento tem aparecido naturalmente, sem que seja associado a qualquer tipo de prática ou costume, entre outros fatores.

Até mesmo porque, em outros casos, podem ser necessários o acompanhamento de um profissional dentista e tratamentos que são restritos ao ambiente do consultório odontológico.

Atuação profissional é primordial para conhecer causas e tratamentos

Em primeiro lugar, é importante destacar que a automedicação não é indicada em qualquer circunstância.

Portanto, a melhor conduta, principalmente se a gengiva estiver sangrando com muita frequência ou intensidade, é procurar um profissional dentista.

Por meio da anamnese odontológica e do exame clínico, ele irá investigar as possíveis causas e, posteriormente, indicar o melhor tratamento.

No caso dos pacientes que já vão ao consultório odontológico regularmente, para acompanhamento e prevenção, esse problema pode até mesmo ser evitado.

Gengiva sangrando: escovação pode ser culpada

Sim! Você não leu errado. A escovação é um dos principais fatores que costumam motivar o sangramento na gengiva.

Para muitos, essa afirmação pode acabar soando estranha já que escovar os dentes é uma das principais formas de se evitar problemas bucais.

Mas a verdade é que aqui estamos nos referindo à escovação realizada de forma incorreta, inadequadamente.

Como vimos no início deste artigo, é comum nos depararmos com a gengiva sangrando ao escovar os dentes.

Isso acontece, geralmente, porque o indivíduo coloca muita força na hora da escovação por acreditar que, assim, irá garantir uma eficiente higiene bucal.

O mesmo vale para quem costuma passar o fio dental com excesso de força.

Trata-se de uma conduta aparentemente inofensiva, mas que pode ocasionar traumas sobre as gengivas e até mesmo sua inflamação.

Alerta para quem escova os dentes de forma rápida e superficial  

Mas não é só o excesso de força que torna uma escovação inadequada. Se ela não for realizada de forma eficiente, também poderá causar problemas.

Outra situação comum é quando o indivíduo realiza a escovação de forma rápida e superficial, por pura obrigação, sem se dedicar ao processo.

A higienização acaba ficando comprometida, já que a placa bacteriana entre o dente e a gengiva não é removida como deveria.

Com o tempo, essa placa bacteriana começa a se acumular e ocasiona a gengivite e a periodontite, por exemplo, inflamações que podem resultar no sangramento gengival.

Saiba, abaixo, alguns detalhes sobre cada uma delas.

Gengiva sangrando pode ser gengivite?

gengiva sangrando

Morder uma maçã já pode ser o suficiente para se deparar com a gengiva sangrando, em casos de gengivite

Conforme vimos anteriormente, a gengivite é uma inflamação do tecido gengival ocasionada pela formação da placa bacteriana.

E gengiva sangrando é justamente um dos seus efeitos, bem como vermelhidão e inchaço. Esses sintomas aparecem, principalmente, na hora de escovar os dentes ou passar o fio dental.

Mas em alguns casos, o simples fato de morder algum alimento mais duro, como a maçã, já é o suficiente para se deparar com a gengiva sangrando.

A boa notícia é que manter uma boa higiene oral pode prevenir e até mesmo minimizar o problema.

Periodontite pode significar gravidade da situação 

Por outro lado, se a remoção da placa bacteriana não acontece no tempo esperado, ela acaba endurecendo e se transformando em tártaro.

Desta forma, o quadro pode se agravar e evoluir para doenças periodontais, que além de terem um elevado aumento do sangramento, podem ocasionar até perda dentária.

É o caso da periodontite, uma inflamação causada pela proliferação dos microrganismos que afeta não só a gengiva ao redor dos dentes, mas os tecidos que o sustentam.

Esta patologia pode ocasionar retração gengival, amolecimento dos dentes, problemas na mastigação e na fonética, além de perda dentárias, conforme já mencionado.

Gengiva sangrando também pode ser sinal de alerta para problemas de saúde

Mas não é só a gengivite e a periodontite que causam sangramentos na gengiva. E nem somente a má higienização.

Gengiva sangrando, sobretudo de forma espontânea e com grande frequência e intensidade, pode ser sinal de alerta.

Em alguns desses casos, o problema inclusive aparece independente do acúmulo da placa bacteriana.

São situações que merecem atenção redobrada já que podem indicar processos inflamatórios mais graves, originados inclusive por outras doenças.

Confira mais algumas situações que podem justificar o sangramento gengival:

  • HIV, devido à baixa imunidade e carga viral do paciente
  • Leucemia, por conta da redução do número de plaquetas, o componente do sangue envolvido na coagulação
  • Má nutrição ou desnutrição, que acaba comprometendo a resistência do organismo e deixando dentes e gengivas mais vulneráveis às infecções
  • Deficiência de vitaminas, principalmente A, B, C e K, que resulta na ausência de outros nutrientes
  • Gravidez, em virtude das alterações hormonais
  • Diabetes, principalmente não controlada, já que a glicose no sangue pode permanecer alta e contribuir com o surgimento de infecções bacterianas

Importante destacar que o fato de estar com a gengiva sangrando não significa que você tenha alguma dessas disfunções ou que esteja grávida.

O recomendável é procurar um profissional dentista, que fará a avaliação necessária para um correto diagnóstico.

Outras possíveis causas da gengiva sangrando são: cárie dentária, tabagismo, próteses e aparelhos ortodônticos mal encaixados, o uso de determinados medicamentos, entre outros.

Investindo em uma boa higiene bucal para combater as bactérias

Ao contrário do que a maioria pensa, gengiva sangrando não é motivo para suspender a higiene bucal.

Pelo contrário, quando realizado de forma correta, esse processo pode ajudar no combate às bactérias e na redução do acúmulo de placa bacteriana.

O que, consequentemente, proporciona uma melhora do quadro ou até mesmo na prevenção do sangramento gengival.

Mas, para isso, em primeiro lugar, é importante observar se você possui uma escova dental adequada. Frequência, duração e técnica da escovação também demandam atenção.

Confira alguns pontos importantes que não podem ser deixados de lado:

  • Realizar a escovação pelo menos três vezes ao dia, utilizando creme dental com flúor.
  • Dar atenção especial à higienização noturna, já que a produção de saliva diminui quando dormimos, o que facilita a ação bacteriana.
  • O processo de escovação deve prolongar-se por pelo menos três minutos para garantir uma eficiente limpeza.
  • A escovação pode ser iniciada com movimentos leves, curtos e circulares, sempre lembrando de passar a escova nas superfícies externa e interna dos dentes.
  • Fazer movimentos suaves de vai e vem para escovar a parte plana da superfície da mastigação.
  • Também são bem-vindos movimentos de cima para baixo, na arcada superior, e o oposto na arcada inferior, como se estivesse “varrendo a sujeira”, para limpar o sulco gengival.
  • Não se pode esquecer de escovar a parte interna das bochechas e a língua. E nem de utilizar o fio dental ao menos uma vez por dia.
  • Também é importante trocar a escova dental a cada três meses ou assim que ela manifestar desgastes.

Outros tipos de tratamento para sangramento gengival

Procedimentos odontológicos podem ser necessários em alguns casos para tratar o sangramento da gengiva

Além de melhorar a rotina de higiene bucal, algumas situações de sangramento gengival podem demandar intervenções odontológicas.

Neste caso, o melhor pode ser procurar um especialista em periodontia, que é profissional responsável pelo tratamento de alterações gengivais.

Entre os principais procedimentos estão a raspagem, uma limpeza profissional para remoção da placa bacteriana e do tártaro ou até mesmo a cirurgia periodontal.

Antibióticos também podem ser prescritos, em casos mais avançados.

Melhorar a alimentação também pode ajudar a minimizar os episódios de gengiva sangrando.

O ideal é evitar uma dieta cariogênica, que pode aumentar o risco de aparecimento desse e de outros problemas.

E investir em uma alimentação saudável e balanceada. Isso para garantir os nutrientes necessários e evitar a deficiência de vitaminas, um dos fatores que podem justificar a gengiva sangrando.

Você também vai gostar de ler