Como a mentoplastia pode contribuir para o equilíbrio estético e funcional da face

mentoplastia

12/04/2021 | Por: Odonto Busca Conteúdo

A harmonização facial tem ganhado destaque nos últimos anos. O que muita gente não sabe é que esta técnica contempla uma série de procedimentos que visam promover o equilíbrio estético e funcional da face, como a mentoplastia.

Neste artigo, você vai conhecer um pouco mais sobre esta “cirurgia plástica do queixo” que, além de benefícios estéticos, proporciona a melhoria da condição de saúde e da qualidade de vida do paciente.

Veja o que será abordado sobre o assunto:

O que é a mentoplastia

Em quais casos a mentoplastia é indicada

Qual profissional procurar

Avaliação do caso e planejamento da cirurgia

Como é o pré-operatório

A realização da mentoplastia

Procedimentos complementares

O pós-operatório da mentoplastia

Possíveis complicações

Alternativas para quem não deseja passar pela mentoplastia

O que é a mentoplastia

mentoplastia

Mentoplastia visa garantir que o queixo permaneça em uma posição mais fisiológica e harmônica

A mentoplastia é conhecida por vários outros nomes. Cirurgia do queixo, cirurgia do contorno cervical, genioplastia e osteotomia basilar do mento são algumas delas.

Trata-se de uma técnica cirúrgica que contempla a mandíbula, o pescoço e o terço inferior da face para tratar o mento. Inclusive é uma das que compõem a cirurgia ortognática.

Além de incômodos estéticos, muitos pacientes enfrentam dificuldades na mastigação e até mesmo na respiração por conta do posicionamento do queixo.

Portanto, o propósito da mentoplastia é garantir que o queixo permaneça em uma posição mais fisiológica e harmônica.

Para, assim, proporcionar uma melhor aparência e harmonia facial e mais qualidade de vida para o paciente.

Em quais casos a mentoplastia é indicada

A mentoplastia é indicada para corrigir as mais diferentes assimetrias e deformidades na região do queixo, sejam funcionais ou estéticas.

De forma geral, elas são divididas em proeminente (macrogenia), deficiente (microgenia) e assimétrico. Isso para distinguir o tipo e extensão da alteração.

O mais comum é que o procedimento seja adotado com o objetivo de aumentar o tamanho e volume do mento, inclusive para garantir uma melhor estética facial.

Principalmente em pessoas que já passaram da fase de crescimento ósseo e o queixo ainda segue retraído e em desarmonia com o restante do rosto.

Mas há casos, também, em que este recurso é adotado para redução do tamanho e volume do queixo, quando ele se encontra exageradamente projetado, o que acaba tornando-o um pouco mais complexo.

A mentoplastia também pode contribuir com a melhoria efetiva do contorno mandibular-cervical, bem como com o tratamento de apneia do sono.

Além de ocasionar melhorias na respiração, sobretudo quando há avanço ósseo, o que proporciona uma ampliação da via de passagem do ar.

Veja também: Assimetria facial: um problema muito além da questão estética

Qual profissional procurar

Quando nos referimos ao procedimento como uma intervenção cirúrgica, muitas pessoas automaticamente imaginam que apenas o cirurgião plástico pode realizá-la.

Contudo, no caso da mentoplastia, um profissional dentista especialista em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial também tem habilitação para tal.

A grande vantagem de realizar a cirurgia do queixo com um cirurgião-dentista especialista é que a necessidade de inserção de prótese de silicone ou metacrilato é dispensada.

Isso porque esse profissional realiza o reposicionamento dos tecidos do próprio paciente, o que previne complicações e garante um resultado ainda mais natural.

Avaliação do caso e planejamento da cirurgia

mentoplastia

O profissional analisa todo o rosto para verificar o que falta para que o queixo se apresente de forma mais harmônica

O paciente que busca corrigir o posicionamento do queixo por meio da mentoplastia deve, em primeiro lugar, passar por uma avaliação profissional.

Antes da indicação cirúrgica, o especialista realiza uma série de exames para avaliar o quadro clínico do paciente e garantir que ele se encontra em boas condições de saúde.

Como exames visual e tátil, radiografias e até tomografias, se necessário. Além de um protocolo de fotografias de todos os ângulos do rosto para ajudar no planejamento do caso.

Engana-se quem pensa que o planejamento da cirurgia é feito a partir da análise isolada do queixo. Pelo contrário, o profissional faz uma análise facial total.

A face é dividida em três partes e, apesar de a boca e o queixo ficarem no terço inferior, as proporções de cada terço são analisadas e comparadas.

Isso com o propósito de verificar o que se faz necessário para que o queixo se apresente de forma mais harmônica em relação ao restante do rosto.

Além disso, existem medidas para serem seguidas, no que diz respeito à altura e posição do queixo em relação aos lábios e nariz.

Para otimizar o planejamento e até mesmo visualizar os resultados antes da execução, recursos digitais são adotados.

Lembrando que o planejamento é diferente entre homens e mulheres, já que se considera formato de rosto e padrões.

Como é o pré-operatório

Antes de realizar a cirurgia, o paciente deve se atentar a alguns detalhes, como o tempo mínimo de jejum necessário.

É preciso seguir a recomendação do profissional responsável sobre este intervalo, que costuma ser de duas horas, em casos de anestesia local, e de doze horas, na anestesia geral.

Além disso, poderá ser indicada a interrupção do uso de alguns medicamentos antes do procedimento, assim como o consumo de bebidas alcóolicas e uso de tabaco ou drogas.

O adiamento da realização da mentoplastia também pode ser necessário em alguns casos, como de resfriado e infecção.

Importante lembrar, ainda, que o tratamento ortodôntico muitas vezes antecede a mentoplastia, já que o alinhamento dos dentes contribui diretamente com a estética da face.

Veja ainda: Anestesia odontológica para harmonização facial: O que você deve saber

A realização da mentoplastia

A cirurgia de mentoplastia costuma durar cerca de uma hora e é realizada sob efeito de anestesia local, muitas vezes associada à sedação endovenosa.

Por outro lado, quando outros procedimentos são associados, a anestesia geral pode ser necessária, dependendo da situação.

De forma geral, uma incisão é realizada na parte inferior do queixo, mais especificamente na ponta do osso da mandíbula.

Esse pedaço é reposicionado e fixado na posição desejada por meio de placas e parafusos de titânio.

Todo esse procedimento acontece, na maior parte das vezes, por dentro da boca. Portanto, a intervenção não deixa qualquer tipo de cicatriz.

Na mentoplastia de aumento, o profissional pode optar tanto pela inclusão de um implante de silicone ou enxerto de gordura, quanto pela colocação de um novo osso.

Procedimentos complementares

A relação entre nariz e queixo é determinante na estética do rosto e harmonia facial, por isso, rinoplastia muitas vezes é realizada em conjunto

Para garantir um resultado ainda melhor, é muito comum que outros procedimentos sejam associados à mentoplastia.

Como, por exemplo, a lipoaspiração de pescoço ou cervicoplastia com o intuito de melhorar a definição do contorno da mandíbula e a visibilidade dos ângulos da face.

Sobretudo em pacientes que apresentem um acúmulo excessivo de tecido adiposo nesta região, bem como flacidez no músculo platisma, que contorna toda parte lateral do pescoço.

A bichectomia é outro procedimento que costuma ser realizado junto à mentoplastia, a fim de garantir uma face ainda mais fina, associada à nova posição do queixo.

Outro caso é a rinoplastia que, quando executada juntamente com a mentoplastia, leva o nome de perfiloplastia.

A associação desses dois procedimentos cirúrgicos acontece tendo em vista a grande relevância do nariz e do queixo na estética do rosto e harmonia facial.

Veja ainda: Tudo sobre a Lipo Enzimática de Papada feita com o dentista

O pós-operatório da mentoplastia

O pós-operatório da mentoplastia vai depender da complexidade do caso e das especificidades da cirurgia.

Na maior parte das vezes, o paciente recebe alta no mesmo dia. Contudo, ainda precisa ficar alguns dias com curativo e de repouso em casa.

Leves desconfortos podem surgir, mas costumam ser facilmente controlados por meio dos analgésicos prescritos pelo médico.

Antibióticos e anti-inflamatórios também são recomendados para evitar o risco de infecção.

Outra reação bastante comum é o inchaço, que costuma demorar até duas semanas para começar a melhorar. Em alguns pacientes, contudo, esse edema pode se prolongar por dois ou três meses.

Por isso, a drenagem linfática de pescoço é indicada em muitos casos, além da aplicação de compressas de gelo e de dormir com a cabeceira elevada nos primeiros dias.

Importante lembrar, ainda, que o paciente deve seguir uma dieta líquida na primeira semana e ir progredindo a textura aos poucos, conforme for apresentando melhoras.

E evitar esforço físico, dormir de lado, movimentos bruscos no local, exposição excessiva ao sol e fumar.

A higiene oral também deve ser realizada de forma cuidadosa para não machucar o local. Vale, inclusive, reforçá-la por meio de soluções antissépticas, que vão muito além do hálito fresco.

Em um prazo de 7 a 10 dias após a cirurgia, o paciente volta ao consultório para retirar os pontos, quando não absorvíveis, e avaliar o pós-operatório.

Possíveis complicações

Por menores que sejam os riscos da mentoplastia, eles existem e não podem ser desconsiderados.

Mas, de forma geral, as possíveis complicações são aquelas que podem surgir em qualquer outro procedimento cirúrgico.

Como alergia à anestesia, hemorragia, hematomas, infecções, sensibilidade local, lesões, abcessos.

Também podem acontecer deformidades, perda de sensibilidade, paralisia dos músculos, endurecimento dos tecidos da região, danos nas raízes dentárias, entre outros.

Alternativas para quem não deseja passar pela mentoplastia

Aplicação de ácido hialurônico pode ajudar a suavizar assimetrias no queixo e possibilitar uma harmoniza facial temporária

Como a mentoplastia é uma intervenção cirúrgica que mexe com o osso da mandíbula, de forma definitiva, muitos pacientes acabam ficando com receio de realizá-la.

Principalmente aqueles que recorrem ao procedimento para solucionar questões estritamente estéticas. Diante disso, muitos acabam optando por intervenções menores e temporárias.

Como é o caso da aplicação de ácido hialurônico, uma técnica de preenchimento facial que é executada de forma simples e rápida, no próprio consultório, e costuma durar de 12 a 18 meses.

Além disso, para o aumento do volume do mento, também podem ser utilizadas a gordura do próprio paciente ou colocadas próteses pré-moldadas de silicone ou polietileno.

No caso da gordura, por mais que exista uma grande oferta de tecido, é importante lembrar que o resultado acaba sendo imprevisível, já que parte é reabsorvida pelo organismo.

Já no que diz respeito às próteses pré-moldadas, por menores que sejam os riscos, não se pode descartar a possibilidade do material se deslocar ou causar infecção.

Portanto, caso você tenha algum receio de passar pela mentoplastia, vale conversar com um cirurgião de confiança sobre a melhor alternativa para o seu caso.

Você também vai gostar de ler