Cárie em bebês existe e pode prejudicar formação dos dentes permanentes

cárie em bebês

04/02/2021 | Por: Odonto Busca Conteúdo

A cárie em bebês é uma realidade que não pode ser ignorada. Segundo a última Pesquisa Nacional de Saúde Bucal, realizada em 2010, quase 30% das crianças de 18 a 36 meses apresentaram pelo menos um dente de leite cariado.

Para quem acha que não tem nada demais nisso, já que os dentes de leite logo serão substituídos pelos dentes permanentes, não é bem assim que funciona.

Os bebês também podem ser acometidos pelas complicações causadas pelas cáries, que podem resultar, inclusive, em má formação e imperfeições nos dentes permanentes.

Neste artigo, você vai entender como a cárie em bebês surge, quais riscos apresenta, a melhor forma de tratamento e de prevenção, entre outros assuntos relacionados ao tema. Confira:

Cárie em bebês é realmente possível? Quais os riscos?

O que é a cárie

Alimentação: uma das principais causas da cárie em bebês

A cárie em bebês também pode surgir por conta de outros fatores

Leite materno causa cárie em bebês?

Quando levar o bebê ao dentista

Tratamento contra a cárie em bebês

A importância da escovação

Prevenir é o melhor remédio

Cárie em bebês é realmente possível? Quais os riscos?

cárie em bebês

Cárie em bebês é uma realidade que não pode ser ignorada

Para quem acha que os bebês são imunes à cárie, isso não passa de um mito.

A partir do momento em que acontece a erupção do primeiro dente, ele já se torna vulnerável à cárie dentária e à outras doenças bucais por conta do seu contato com o meio externo.

Por isso, é importante que os pais estejam sempre de olho nos dentes dos pequenos. E que não esperem o filho se queixar de dor para procurar acompanhamento profissional.

O recomendável é que, diariamente, eles observem se há alguma mancha esbranquiçada ou ponto escuro nos dentes, mesmo que não estejam acompanhados de dores ou desconfortos.

Sangramento ou inchaço na gengiva, mau hálito, febre e mudanças significativas no comportamento também merecem atenção.

Importante destacar, ainda, que assim como o surgimento da cárie em bebês é possível, sérias complicações também acontecem, como a necessidade de extração do dente.

Desta forma, os cuidados com os dentes de leite também se fazem extremamente necessários.

Apesar de temporários, eles conduzem os dentes permanentes à posição correta, já que os mesmos estão em crescimento abaixo da gengiva.

Além disso, eles são muito importantes na mastigação e deglutição dos alimentos, fonação e inclusive estética do bebê.

O que é a cárie

Popularmente associada às manchas e buracos nos dentes, a cárie dentária consiste na desmineralização do esmalte dentário.

Essa perda de minerais acontece em virtude da produção de ácidos por parte dos microrganismos que vivem na nossa boca. O que, consequentemente, resulta na diminuição do pH bucal.

Em simples palavras, quando consumimos algum alimento cariogênico, principalmente, e não realizamos uma higiene oral eficiente, damos força para as bactérias atuarem.

Elas se aproveitam dos açúcares dos alimentos e o utilizam como uma espécie de combustível para formar esses ácidos e, assim, atacar os dentes.

As lesões cariosas começam com o surgimento de manchas brancas opacas. Mas, se não forem adequadamente tratadas, podem evoluir rapidamente para cavidades e até mesmo perda dos dentes.

Alimentação: uma das principais causas da cárie em bebês

Geralmente aos seis meses de idade os bebês já estão preparados para iniciar a alimentação complementar. Este processo deve ser pautado pela ingestão de frutas, verduras e legumes, sobretudo.

A recomendação é que o açúcar seja introduzido somente após os dois anos de idade. Isso para não comprometer a introdução alimentar e, principalmente, para prevenir o surgimento de cáries.

Mas uma dieta cariogênica não é composta apenas por bebidas e comidas açucaradas. Carboidratos, alimentos salgados ricos em sacarose e amido e ácidos também podem prejudicar a saúde bucal.

Além da composição dos alimentos, os pais também devem se manter atentos à textura e a frequência de consumo.

Biscoitos recheados, por exemplo, tendem a grudar nos dentes. Se consumidos com frequência e se não houver a devida higienização, eles podem favorecer a aparição das cáries.

A cárie em bebês também pode surgir por conta de outros fatores

O uso de mamadeiras, principalmente com bebidas adoçadas, deve ser controlado e seguido pela higiene bucal

Muitas pessoas também associam o uso de mamadeiras ao aparecimento das cáries.

Mas na maioria das vezes é o açúcar do leite, do suco ou do chá colocado no objeto, associado à falta de higienização, que prejudica a saúde bucal do bebê.

Ainda assim, é importante ter cautela com o uso descomedido da mamadeira e, especialmente, não deixar o bebê ter acesso à ela durante o sono.

Lembrando que as bactérias também são transmitidas pela saliva, portanto, é preciso ter cuidado com o compartilhamento de utensílios, como garfo ou colher, e com beijos na boca do bebê.

Leite materno causa cárie em bebês?

Este é um assunto que divide opiniões. De um lado, estão os profissionais que acreditam que a amamentação pode sim provocar o aparecimento da cárie.

Principalmente considerando a livre demanda, a amamentação noturna e as mamadas prolongadas. Isso porque o leite materno também contém açúcares em sua composição.

Em contrapartida, existe um outro lado que defende que esta quantidade de açúcar não é suficiente para diminuir o pH bucal e causar a acidez necessária para deixar a boca suscetível às cáries.

Outra questão é que o leite materno não entra em contato direto com os dentes da frente. Ele é liberado por ordenha, direto para o céu da boca.

Muitos estudos e profissionais defendem, inclusive, que a amamentação pode ajudar a proteger os dentes do bebê, já que dificulta a multiplicação das bactérias.

Geralmente a cárie é associada à amamentação, mas é ocasionada pelo consumo de doces, guloseimas, embutidos ou até mesmo pela falta de higienização correta.

Quando levar o bebê ao dentista

Uma dúvida bastante comum relacionada à saúde bucal do bebê é quando levá-lo ao profissional dentista.

Muitos pais ficam sem saber se existe uma idade certa para a primeira consulta odontológica e com que frequência é necessário realizar essas visitas.

O ideal é que a primeira consulta odontopediátrica seja agendada antes mesmo da erupção do primeiro dentinho.

Isso porque o profissional terá a chance de orientar os pais sobre todos os detalhes que envolvem uma higiene bucal adequada.

Assim, quando os dentes de leite surgirem, eles já estarão preparados para realizar um bom trabalho, sobretudo na prevenção de doenças bucais.

Entretanto, a maioria das pessoas deixa para levar o bebê ao dentista quando os primeiros dentes aparecem, de fato.

Neste caso, é importante ressaltar que cada criança tem seu próprio tempo. O primeiro dente pode aparecer aos seis meses ou até mesmo com um ano de idade.

O recomendável, acima de tudo, é que o bebê faça ao menos uma visita ao dentista em seu primeiro ano de vida e que as prevenções sejam realizadas semestralmente.

Tratamento contra a cárie em bebês

cárie em bebês

Odontopediatra poderá utilizar anestesias locais ou até mesmo sedação em bebês, se necessário

Assim como acontece com as crianças, adolescentes e adultos, quanto mais cedo a cárie for diagnosticada no bebê, menos invasivo será o tratamento.

E isso só é possível quando os pais acompanham de perto a saúde bucal do pequeno e mantêm as consultas regulares ao odontopediatra.

Importante ressaltar, ainda, que a indicação do melhor tratamento vai depender da situação de cada paciente.

Somente o profissional dentista, após avaliar o caso, é que terá condições de prescrever o que será preciso fazer e de que forma.

Em casos mais leves, além de mudanças de hábitos e na alimentação, o tratamento também pode envolver aplicação de flúor ou verniz fluoretado para remineralização do dente atingido.

Contudo, se a situação do bebê for mais grave, o dentista poderá utilizar um laser para remover a cárie. Em alguns casos, canais, restaurações e até extrações podem ser necessárias.

Para evitar dores e desconfortos no bebê, o odontopediatra poderá utilizar anestesias locais ou até mesmo sedação, se necessário.

A importância da escovação

A escovação é uma das principais formas de se prevenir o aparecimento da cárie e de outras doenças bucais. Mas, para isso, ela precisa ser realizada da forma correta.

O recomendável é que os dentes do bebê sejam escovados entre duas a três vezes ao dia, principalmente após as refeições.

Importante ressaltar que a escovação noturna merece atenção especial. Quando dormimos, nossa produção de saliva diminui, o que acaba afetando a proteção natural da nossa boca.

Ou seja, se pulamos a higienização noturna, acabamos dando espaço para que as bactérias se proliferem.

É por este motivo também que o indicado é que a higiene bucal do bebê e até de crianças maiores seja realizada pelos pais, para garantir sua eficiência.

Lembrando que a escovação deve ser realizada com uma escova de cabeça pequena e cerdas macias e creme dental com flúor na quantidade de um grão de arroz cru.

O fio dental também pode ser necessário, especialmente para bebês e crianças que têm os dentes bem juntinhos. Neste caso, o fio dental com haste pode ser mais fácil de ser manuseado.

Prevenir é o melhor remédio

Envolver o bebê durante a higiene bucal dos pais pode ajudar a tornar o processo mais fácil

Como pudemos ver, a cárie é uma realidade entre os bebês, por isso, todo cuidado é pouco.

A boa notícia é que a adoção de simples medidas pode contribuir diretamente com a prevenção desta e de outras doenças bucais.

Como já dizia o antigo ditado, “prevenir é o melhor remédio”. Confira algumas das principais formas de evitar o surgimento da cárie em bebês:

-Priorizar uma alimentação saudável e equilibrada, com frutas, verduras e legumes

-Evitar o consumo de açúcar, refrigerantes e de alimentos industrializados

-Envolver o bebê na escovação dos pais para que ele tenha o exemplo desde cedo e se familiarize com o processo

-Escovar os dentes do bebê entre duas e três vezes por dia, sempre após as refeições

-Nunca deixar o bebê dormir sem realizar a higienização bucal

-O bebê pode participar ativamente do ritual da higiene bucal, contudo, os pais devem acompanhar de perto o processo para garantir sua eficiência

-Utilizar creme dental com flúor, na quantidade de um grão de arroz cru

-Utilizar fio dental pelo menos uma vez ao dia, principalmente em bebês que têm os dentes encostados

-Tornar o momento da escovação leve e divertido, seja com histórias, músicas ou brincadeiras

-Não deixar de realizar as consultas regulares ao odontopediatra para acompanhamento, limpeza, aplicação de flúor, se necessário, e sobretudo para prevenir o aparecimento da cárie em bebês

Você também vai gostar de ler