Bigode chinês: conheça suas causas e tratamentos

bigode chinês

31/03/2021 | Por: Odonto Busca Conteúdo

O envelhecimento é um processo natural em nossas vidas, mas isso não significa que ele é bem recebido por todo mundo. Prova disso é que, a cada dia, vem aumentando o número de pessoas em busca de alternativas para suavizar rugas e marcas de expressão, como o bigode chinês.

A boa notícia é que este problema pode ser prevenido através de simples atitudes. E também tratado por meio dos mais diferentes procedimentos.

Neste artigo, além de entender o que é o bigode chinês e quais são suas causas, você vai descobrir como tratá-lo, inclusive no consultório odontológico.

Veja tudo que será abordado sobre o assunto:

O que é o bigode chinês

Quando o bigode chinês costuma aparecer

Bigode chinês acomete só mulheres?

As mais diferentes causas

Rotina saudável pode ajudar na prevenção

Cuidados especiais com a pele também merecem atenção

Como tratar o bigode chinês

Aplicação de ácido hialurônico para quem quer resultado imediato

Como é feito o preenchimento facial

Outros tipos de tratamento para o bigode chinês

O que é o bigode chinês

bigode chinês

Bigode chinês é um sulco nasogeniano resultante da perda de gordura e de colágeno

Enquanto o sorriso gengival é uma condição que costuma incomodar apenas quando a pessoa sorri, o bigode chinês pode gerar desconforto o tempo todo.

Isso porque, primeiramente, é uma marca que está localizada no rosto, ou seja, em um local de grande visibilidade.

Além disso, em alguns casos, ela pode aparecer não somente quando a pessoa sorri, mas também quando esta se mantém séria.

Apesar de ser popularmente conhecida como bigode chinês, seu nome verdadeiro é sulco nasogeniano.

Trata-se daquela linha que se forma da base do nariz até o canto da boca, em ambos os lados, como resultado da perda de gordura e de colágeno.

E que acaba causando uma fisionomia mais cansada e envelhecida.

Quando o bigode chinês costuma aparecer

A partir dos 25 anos de idade, a produção natural de colágeno já começa a diminuir. Isso significa que, a partir daí, o bigode chinês já pode começar a dar as caras.

De forma geral, este vinco na pele costuma ser demarcado por volta dos 30 anos de idade, mas em alguns casos ele pode aparecer já aos 20 e ir evoluindo gradativamente.

Entretanto, a partir dos 40 anos é que se ele se apresenta de forma mais severa. Sobretudo no início da menopausa, que geralmente acontece entre 45 e 55 anos.

Isso porque, neste período, a mulher pode perder até 30% da produção natural de colágeno, o que compromete diretamente a hidratação, elasticidade e firmeza da pele.

Mas é importante destacar que o envelhecimento é contínuo. Portanto, os tratamentos não oferecem condições para interromper este processo, apenas retardá-lo.

Bigode chinês acomete só mulheres?

Muitas pessoas acabam acreditando que as alterações faciais, como o bigode chinês, é uma condição exclusiva do público feminino. Contudo, isso não passa de um mito.

Essa crença se dá, principalmente, pelo fato de as mulheres se preocuparem muito mais do que os homens em manter a pele bonita e saudável.

Com isso, elas acabam investindo mais em uma rotina de cuidados, bem como em tratamentos estéticos.

Mas a verdade é que o bigode chinês atinge a todos, inclusive os homens. Sim! Eles também ficam com a pele mais áspera, seca e fina em virtude do processo de envelhecimento.

E muitos, inclusive, já vem dando total atenção à essa área. O que acontece é que a barba acaba disfarçando muito bem essas alterações e, por isso, muitas pessoas acreditam que elas não existem.

As mais diferentes causas

Além do avanço da idade e do envelhecimento natural da pele, vários outros fatores podem favorecer o aparecimento do bigode chinês. Confira alguns deles:

  • Flacidez da pele
  • Predisposição genética
  • Privação de sono e noites mal dormidas
  • Falta de cuidados com a pele
  • Ausência de protetor solar
  • Exposição excessiva à luz azul, gerada principalmente por computador e televisão
  • Exposição prolongada ao sol, sem a devida proteção
  • Poluição do ar
  • Má alimentação, principalmente com excesso de açúcar
  • Falta de hidratação
  • Dietas drásticas
  • Emagrecimento rápido
  • Hábito de fumar
  • Entre outros

Rotina saudável pode ajudar na prevenção

Alimentação nutritiva e balanceada pode ajudar a prevenir a pele flácida

Conforme vimos anteriormente, o bigode chinês não é um problema ocasionado apenas pelo processo natural do envelhecimento.

Muitos dos nossos hábitos podem contribuir diretamente para o aparecimento e aumento dessas linhas, inclusive.

Por isso, manter uma rotina saudável se faz importante e necessária. O que inclui manter-se hidratado, praticar exercícios físicos regularmente, não fumar.

E, sobretudo, investir em uma alimentação equilibrada, já que o consumo de alimentos nutritivos pode ajudar a estimular a produção natural de colágeno.

Principalmente os que são ricos em vitaminas C e A, enxofre, lisina, ômega 3 e licopeno.

Carne, peixes, ovos, abacate, pepino, alho, frutas cítricas, beterraba, melancia, tomate e vegetais das cores verde, vermelha, laranja e amarela estão entre eles.

Cuidados especiais com a pele também merecem atenção

O mesmo vale para os cuidados diários com o rosto, que são de extrema importância para se manter a pele bonita e saudável.

Não é à toa que o termo “skincare” tem ganhado tanto destaque nos últimos tempos. Ele representa justamente os passos e produtos utilizados no dia-a-dia para garantir sua proteção.

O ritual inclui limpeza, hidratação e tratamento da pele, com dermocosméticos indicados para cada tipo de pele ou necessidade.

E, claro, aplicação do protetor solar, inclusive em dias chuvosos e nublados ou até mesmo se você não for sair de casa.

Vale destacar ainda a importância de retirar a maquiagem com demaquilante, sobretudo antes de dormir.

Muitas pessoas ainda investem em cremes anti-idade ou antirrugas, no intuito de reforçar a hidratação da pele e estimular a produção de colágeno.

Bem como em cremes dermatológicos com ácidos hialurônico, retinóico e glicólico, DMAE e vitamina C, por exemplo.

Além de ajudar a retardar o aparecimento do bigode chinês, eles também podem ser uteis em seu tratamento, conforme veremos adiante.

Como tratar o bigode chinês

O tratamento para sulco nasogeniano, popularmente conhecido como bigode chinês, vai depender muito do estágio e do nível em que se encontram as linhas faciais.

No início, por exemplo, ele pode ser tratado por meio da aplicação tópica de dermocosméticos ou até mesmo medicamentos via oral.

Os cremes à base de ácido retinóico, por exemplo, podem suavizar os sulcos, bem como melhorar a textura da pele.

Enquanto os de ácido hialurônico têm poder hidratante e auxiliam na manutenção da elasticidade e da maciez da pele.

Inclusive, esta é uma substância muita utilizada para prevenir o aparecimento de rugas e tratar as linhas de expressão.

Algumas pessoas também investem em exercícios e manobras faciais que ajudam a suavizar as linhas de expressão, evitar a flacidez e possibilitar um rosto mais firme e saudável.

Assim como em diferentes procedimentos estéticos, conforme veremos a seguir.

Aplicação de ácido hialurônico para quem quer resultado imediato

Por outro lado, já existem alternativas para quem busca resultados rápidos, como é o caso do preenchimento facial.

Este procedimento pode ser realizado tanto por cirurgiões plásticos e dermatologistas, quanto por profissionais dentistas.

Isso graças às resoluções 176/2016 e 198/2019, do Conselho Federal de Odontologia (CFO).

A primeira autoriza a utilização de preenchedores faciais, assim como da toxina botulínica, pelo cirurgião-dentista.

Tanto para fins terapêuticos funcionais, quanto estéticos, desde que não extrapole sua área anatômica de atuação.

E a segunda reconhece a harmonização orofacial como especialidade odontológica e contempla o uso dos preenchedores faciais como uma das áreas de competência do cirurgião-dentista especialista nesta área.

Como é feito o preenchimento facial

Preenchimento facial ajuda a devolver o volume perdido e suavizar as linhas de expressão

O preenchimento facial é um procedimento simples e rápido, com as mais diferentes indicações e que já oferece excelentes resultados em uma única sessão.

Com uma microcânula, o profissional aplica o produto na região do bigode chinês com o intuito de preencher localmente os sulcos.

E, assim, devolver o volume perdido, suavizar essas linhas de expressão e atenuar o aspecto envelhecido da pele causado pelas mesmas.

A substância mais utilizada e indicada é o ácido hialurônico, que é um material biocompatível e reabsorvível, que não oferece praticamente nenhum risco para o organismo.

Importante lembrar que seu efeito é temporário. Portanto, cerca de 18 meses depois, é preciso fazer uma nova aplicação para manter o efeito de pele uniforme.

De forma geral, é um procedimento contraindicado apenas para mulheres grávidas ou que possuem alergia ao produto.

Veja também: Conheça as diferenças entre o botox e o preenchimento facial

Outros tipos de tratamento para o bigode chinês

Além da mudança de hábitos, utilização de dermocosméticos e do preenchimento facial, outros procedimentos estéticos também podem ajudar a suavizar o bigode chinês.

Confira alguns deles:

  • Peeling: estimula a produção de colágeno e elastina e renova as camadas externas da pele, mas deve ser adotado quando as linhas ainda estão no início
  • Botox: a toxina botulínica é mais indicada na prevenção, já que ajuda a relaxar a musculatura e impede a contração dos músculos da face. É outro procedimento que também tem relação com a odontologia.
  • Bioestimuladores: consiste na aplicação de substâncias injetáveis a fim de promover a produção de colágeno pelo organismo
  • Radiofrequência: além de combater a flacidez, atenua as rugas e marcas de expressão a partir de contrações nas fibras elásticas da pele
  • Laser de CO2: uma espécie de peeling profundo que lesiona levemente a camada mais superficial da pele
  • Dermaroller: rolo com microagulhas que estimulam a camada profunda da pele, sem lesar a camada superficial, para aumentar a permeabilidade
  • Fios de sustentação: para pacientes mais velhos, sobretudo, este é um recurso que utiliza fios de ácido lático absorvíveis para deixar a pele mais firme
  • Ultrassom micro e macrofocado: promove a retração e estiramento na pele e repõe a flacidez sobre o sulco, possibilitando resultados também em uma única sessão
  • Intervenção cirúrgica: para pacientes com mais de 60 anos, o mais adequado muitas vezes é a técnica cirúrgica, como a miectomia, que faz um corte na pele ao lado da ruga em questão
  • Entre outros

Como pudemos ver, são várias as formas de tratar o sulco nasogeniano. Portanto, caso você esteja em busca de tratamento para o bigode chinês, não deixe de procurar um profissional especialista para saber qual procedimento é mais indicado para seu caso.

Você também vai gostar de ler