Assimetria facial: um problema muito além da questão estética

assimetria facial

05/04/2021 | Por: Odonto Busca Conteúdo

Quando se fala de assimetria facial, automaticamente passa pela nossa cabeça aquela imagem de uma pessoa com o rosto totalmente desigual.

Mas isso não é tão comum de vermos na prática, não é mesmo?

A verdade é que muitos de nós temos uma visão distorcida sobre este problema, que é muito mais frequente do que a gente imagina.

Neste artigo, você irá entender o que é, de fato, a assimetria facial. Além de se inteirar sobre suas principais causas e tratamentos.

Veja tudo que será abordado sobre o assunto:

Você, provavelmente, tem uma ideia errada sobre a assimetria facial

Um problema muito além da questão estética

O que causa a falta de simetria na face

Maus hábitos também podem ser responsáveis pela assimetria facial

O diagnóstico de assimetria facial

Como é a atuação do profissional dentista neste caso

Se é um problema tão comum, por que tratar?

Botox e preenchimentos

Outras opções de tratamento para a assimetria facial

Você, provavelmente, tem uma ideia errada sobre a assimetria facial

assimetria facial

Pequenas diferenças entre os dois lados da face já podem caracterizar a assimetria facial

A assimetria facial não é uma condição rara, como muitos de nós podemos julgar. Pelo contrário, o raro na verdade é ter um rosto perfeitamente simétrico.

Essa confusão é causada, principalmente, pelo fato de acharmos que rosto assimétrico é aquele que apresenta alterações excessivas.

Mas, na realidade, pequenas diferenças entre os dois lados da face já podem caracterizar a assimetria facial.

Ou seja, é um problema muito mais comum do que a gente imagina, conforme já mencionado anteriormente.

O que costuma acontecer é que muitas dessas alterações podem acabar passando despercebidas por quem vê, mas não por quem tem.

Um problema muito além da questão estética

É fato que, muitas vezes, a assimetria facial prejudica significativamente a aparência.

Isso porque as diferenças podem ser mais perceptíveis em alguns casos e, por conta disso, o rosto passa a se apresentar um tanto desarmônico.

Mas é importante destacar que os problemas vão muito além da questão estética.

A começar pelo fato dessa situação gerar uma grande insatisfação pessoal e incômodo estético para algumas pessoas, afetando diretamente sua autoestima.

Além disso, pode comprometer a qualidade de vida do paciente em outros sentidos.

Como, por exemplo, afetando tarefas simples, mas com funções importantes como respirar, comer e dormir.

Tendo em vista, principalmente, que todo esse desequilíbrio pode até mesmo impactar na musculatura e estrutura óssea da face.

O que, consequentemente, também pode ocasionar problemas de saúde. E o mais sério é que, em alguns casos, a assimetria facial ainda pode aumentar com o tempo.

O que causa a falta de simetria na face

Os mais diferentes fatores podem causar a assimetria facial, mas a genética está entre os mais comuns.

Em seguida, aparecem os maus hábitos, conforme detalharemos adiante. Bem como determinadas doenças, traumas ocasionados por acidentes e até tumores.

Problemas respiratórios, como sinusite, bronquite e desvio de septo, também podem causar alterações bucais que podem impactar na aparência facial.

Como céu da boca mais fundo, língua mais próxima dos dentes inferiores e cabeça projetada para frente, além de problemas posturais.

Alguns problemas dentários, musculares e esqueléticos também podem contribuir para a falta de simetria da face. Como o bruxismo.

Maus hábitos também podem ser responsáveis pela assimetria facial

Conforme já mencionado, alguns hábitos nocivos presentes no nosso dia a dia também podem contribuir para o desenvolvimento da assimetria facial.

Entre eles está o costume de dormir sempre do mesmo lado. Assim como a mordida unilateral, que consiste em mastigar utilizando apenas um lado da boca.

Apesar de parecerem inofensivos, esses hábitos fazem com que a pessoa acabe estimulando mais um lado do rosto do que o outro.

Esta segunda, por exemplo, pode afetar até os olhos que, de um determinado lado, podem aparentar mais baixo do que o do outro.

Por incrível que pareça, até mesmo a respiração pode surtir efeitos diferentes em cada lado do rosto.

O diagnóstico de assimetria facial

assimetria facial

Diagnóstico profissional é necessário a importante para definir melhor forma de tratamento

Por mais que a assimetria facial seja facilmente identificada a olho nu em alguns casos, isso não descarta a necessidade de consultar um profissional a respeito.

Isso porque, mais do que comprovar a condição por meio de exames clínico e radiográfico, o diagnóstico realizado no ambiente profissional se faz extremamente importante.

Sobretudo para determinar a causa da assimetria facial e avaliar sua extensão e gravidade.

E, consequentemente, para definir o melhor procedimento para cada caso e quais profissionais serão envolvidos no tratamento.

Como é a atuação do profissional dentista neste caso

Os cirurgiões dentistas, especialmente os especialistas em harmonização orofacial, estão entre os profissionais capazes de realizar o diagnóstico e inclusive tratar a assimetria facial.

Isso porque é muito comum que pacientes cheguem ao consultório odontológico relatando incômodos na região da face, mas imaginando que os problemas se restringem aos dentes.

Contudo, após relatarem suas queixas e passarem pela anamnese e exames, muitos chegam também ao diagnóstico de assimetria facial.

Neste caso, o profissional dentista atua na identificação do grau da assimetria, bem como de sua origem, que costuma ser dividida em patológica, traumática ou genética.

Se é um problema tão comum, por que tratar?

Uma pergunta muito comum que as pessoas com assimetria facial costumam fazer é por que tratar este problema, se ele é tão recorrente?

A principal questão é que, conforme já mencionado anteriormente, na maioria dos casos esta não é uma alteração exclusivamente estética.

Além de causar desequilíbrio nas estruturas esqueléticas da face, pode prejudicar diretamente funções importantes do nosso organismo.

E, ainda, causar mal-estar, desconforto e dores, como a miofascial, enxaqueca e fibromialgia. É por isso que, principalmente em casos mais acentuados, o tratamento faz-se necessário.

A boa notícia é que, atualmente, existem diferentes procedimentos que podem ajudar a deixar o rosto mais simétrico e evitar essas disfunções no organismo.

Confira alguns deles nos próximos tópicos.

Botox e preenchimentos

A toxina botulínica, popularmente conhecida como botox, e os preenchedores faciais estão entre as técnicas mais utilizadas para tratar a assimetria facial.

E com a resolução nº 176/2016, do Conselho Federal de Odontologia (CFO), os cirurgiões-dentistas passaram a ser autorizados a utilizar ambos para fins terapêuticos funcionais e/ou estéticos.

Depois disso, o órgão ainda publicou a resolução nº 198/2019, reconhecendo a harmonização orofacial como especialidade odontológica.

E definindo-a como um conjunto de procedimentos realizados pelo cirurgião-dentista em sua área de atuação, responsáveis pelo equilíbrio estético e funcional da face.

O botox é um procedimento pouco invasivo, seguro e eficaz, que funciona como uma espécie de bloqueador neuromuscular.

Isso significa que, sem ordens para se movimentar, a força de contração de determinados músculos faciais é reduzida, ocasionando seu relaxamento e paralisação parcial ou total.

Ao deixar essa musculatura estável, o procedimento torna o contorno facial simétrico temporariamente.

Já o preenchimento facial é uma técnica caracterizada pela aplicação de substâncias modeladoras e biocompatíveis nas profundas camadas da pele, como o ácido hialurônico.

Esses componentes atuam diretamente no preenchimento dos chamados sulcos faciais, das rugas e dos espaços entre as células justamente com o intuito de dar volume à essas áreas do rosto, além de suavizar marcas.

A harmonização orofacial também é outro objetivo do preenchimento facial, já que o procedimento ainda atua com a correção de assimetrias causadas por diferenças na musculatura e na pele e melhoria dos contornos.

Veja também: Botox e odontologia: qual é a relação?
                         O preenchimento facial e suas diversas indicações
                         Conheça as diferenças entre o botox e o preenchimento facial

Outras opções de tratamento para a assimetria facial

aparelho ortodôntico

O aparelho ortodôntico também é um meio de corrigir assimetrias faciais causadas pelo desalinhamento dos dentes ou problemas de mordida

Mas as técnicas capazes de corrigir essas disfunções não param por aí. Confira outras opções para tratar a assimetria facial:

  • Rinomodelação: técnica não cirúrgica voltada para a suavização de problemas e correção de assimetrias e de deformidades de formato do nariz.
  • Preenchimento labial: procedimento que oferece ótimos resultados para quem possui algum tipo de assimetria labial ou que almeja uma melhor harmonização entre lábios e rosto.
  • Lifting sem cirurgia: consiste no posicionamento de fios de sustentação na região subcutânea da pele para modelar queixo, nariz e contornos do maxilar
  • Cirurgia ortognática: tratamento cirúrgico que visa corrigir o posicionamento incorreto dos ossos dos terços médio e inferior da face para reposicionamento dos maxilares, que pode causar assimetria acentuada.
  • Aparelho ortodôntico: uma das técnicas mais utilizadas entre adolescentes e adultos, o aparelho dentário é um dispositivo utilizado para mover os dentes na boca e alinhá-los. Ele atua de forma ortodôntica (nos dentes) ou de forma ortopédica (na estrutura óssea que sustenta os dentes). Ajuda, inclusive, a alinhar a mordida cruzada, uma grande responsável pela assimetria facial.
  • Exercícios faciais: realizada por um fonoaudiólogo, esta técnica consiste na realização de movimentos para desenvolver a musculatura e, assim, melhorar a aparência assimétrica.
  • Maquiagem inteligente: indicada para que tem assimetrias faciais leves, é caracterizada pela aplicação de pintura com pontos de luz e sombra na face para suavizar a assimetria facial.

Lembrando que essas não são as únicas opções para tratar a desarmonia do rosto. Existem muitas outras formas de fazer isso.

Por isso, a importância de procurar um profissional especialista. Cada caso deve ser avaliado individualmente.

Para, desta forma, definir o melhor tratamento que se adeque às necessidades de cada paciente e possibilitar uma correção eficaz da assimetria facial.

Você também vai gostar de ler