A Prótese Parcial Fixa é a solução para sorrir novamente sem constrangimento

prótese parcial fixa

17/03/2021 | Por: Odonto Busca Redação

Quando pensamos em prótese, pensamos logo em perda dentária por envelhecimento. Mas, ela pode ocorrer em qualquer fase da vida e por fatores diversos, tais como trauma, acidente ou uso exagerado de substâncias químicas, como alguns medicamentos.

Quando isso acontece, torna-se de suma importância substituir os dentes faltosos. Não meramente por estética, mesmo que ela seja, sim, muito importante. Mas também para proteger os dentes remanescentes e conversar em perfeitas condições a mastigação e a fala.

Afinal, tudo está interligado e uma coisa depende da outra. Nestes casos, a Prótese Parcial Fixa é uma das alternativas disponíveis para solucionar o problema.

A Prótese Parcial Fixa é uma ferramenta que vai além da recuperação dos dentes. Ela pode recuperar, ainda, a confiança, a autoestima e a qualidade de vida das pessoas que necessitam desse aparato.

Neste artigo, você conhece todas as características desta prótese, para quem serve, como cuidar e sua durabilidade, dentre outros detalhes. Se você precisa voltar a sorrir sem medo e sem constrangimento pelos dentes que faltam, talvez a Prótese Parcial Fixa seja a solução para você. Acompanhe e descubra!

Prótese Parcial Fixa

Quem pode usar a Prótese Parcial Fixa

Antes de colocar a prótese

Tratamento de canal

Cáries e fraturas

Lesões

Quando a prótese parcial fixa não pode ser utilizada

Higiene

De que são feitas as próteses as próteses parciais fixas

prótese parcial fixa

Prótese Parcial Fixa

Esse aparato é uma ferramenta importante utilizada pelo ramo da prótese dentária para a substituição ou para a restauração dos dentes naturais por substitutos artificiais.

Elas são cimentadas aos dentes pilares (naturais remanescentes) e, portanto, não podem ser removidos pelo paciente, diferentemente do que acontece com a Prótese Parcial Removível.

As vantagens e desvantagens da Prótese Parcial Removível.

Ser fixa aqui é uma vantagem. Uma vez que não há movimentação da peça, o paciente ganha em conforto e segurança. Seu aspecto é bastante similar aos dentes naturais e, portanto, é quase impossível perceber a diferença entre eles.

Quem pode usar a Prótese Parcial Fixa

Antes de optar por algum modelo de prótese, haja vista que existem alguns disponíveis, é fortemente recomendado que a pessoa passe por uma avaliação com um dentista, para ajudar a chegar a melhor solução para o caso. Cada boca possui um histórico e suas especificidades e devem ser tratadas em consonância com o seu perfil.

A Prótese Parcial Fixa é indicada de acordo com quantidade de dentes que a pessoa perdeu. Sendo assim, pode ser uma Prótese Parcial Fixa Unitária ou um Prótese Parcial Fixa Múltipla.

Logo, a Prótese Fixa Unitária tem como objetivo recuperar a porção perdida de um único dente. Já a Prótese Fixa Múltipla envolve a reabilitação de uma porção mais extensa da boca e pode, muitas vezes, ser uma alternativa para pacientes que não desejam ou não podem colocar implantes.

As próteses fixas comumente são indicadas para dentes que tenham passado por tratamento de canal. Quando isso acontece, se faz necessário a colocação de um pino no interior do canal, cujo objetivo é dar maior retenção para a prótese fixa.

Além disso, as próteses fixas são seguidamente associadas com lentes de contato e facetas cerâmicas em um tratamento completo de reabilitação.

Antes de colocar a prótese

Caso este modelo seja o mais recomendável para o paciente, alguns procedimentos serão necessários antes da confecção e instalação das peças, de acordo com o planejamento do dentista. Certamente, o profissional fará um exame clínico e solicitará um exame radiográfico.

Se houver algum problema bucal, este deverá ser tratado antes, tais como cáries e canal. Na sequência, serão instalados os pinos, feitos as moldagens e ajustes necessários até a colocação da Prótese Parcial Fixa.

A prótese fixa não pode ser removida pelo paciente após ser instalada. Esta peça é confeccionada sobre um pino que esteja inserido na raiz do dente, ou colocada exercendo um apoio nos dentes que estejam ao redor, os quais servirão como suporte para ela.

Algumas vezes, em dentes que foram submetidos ao tratamento de canal, o dentista poderá recorrer, ainda, a uma prótese para recobrir a coronária, a fim de prevenir fraturas advindas com o esforço da mastigação.

Tratamento de canal

Como já dito, se a pessoa tiver algum problema bucal, terá que solucioná-lo antes. O tratamento de canal está entre os procedimentos que poderão ser exigidos antes de colocar a prótese, pois se esta for acoplada em dentes com cáries ou fraturas, por exemplo, a sua sustentação ficará comprometida.

Contudo, a extensão da cárie, o nível de comprometimento da polpa e a sensibilidade do dente, o grau e a extensão das restaurações preexistentes, o remanescente da estrutura saída, o espaço necessário para confecção e a cimentação da prótese, dentre outros fatores, determinarão a necessidade real de realizar o canal.

Todos estes detalhes serão avaliados pelo dentista. Logo, o tratamento de canal só é indicado quando um pino metálico é instalado para aumentar a resistência do dente ou para corrigir o mau posicionamento do mesmo.

Entretanto, existem casos em que é necessário fazer um retratamento do canal para maior fixação do pino protético em sustentação à prótese.

Ainda assim, é ideal que o comprimento do canal termine ao final das raízes, embora isso nem sempre aconteça. Nesses casos, o retratamento é indicado para que se consiga o comprimento necessário.

O comprimento inadequado, embora seja contra a norma, pode até ser suficiente para acabar com dores e inflamações, mas não é compatível com a instalação dos pinos protéticos, os quais proporcionam sustentação para as próteses.

Cáries e fraturas

As cáries e as fraturas pedem ação imediata antes de aderir à prótese. Isso porque as fraturas dentárias ocasionadas por traumas ou fragilidade proveniente de cáries podem expor o canal dentário em contato com o meio bucal, inviabilizando a colocação da prótese.

Sendo assim, quando a exposição do canal for por um período superior a 30 dias, é recomendado o retratamento para o uso de próteses.

Lesões

Outros fatores que devem ser levados em consideração antes da colocação da prótese fixa são as lesões por meio de exames radiológicos, o dentista poderá averiguar se há lesões que afetam a saúde óssea, como é o caso de lesões inflamatórias crônicas.

Elas estão muitas vezes localizadas no ápice das raízes de dentes tratados anteriormente por canal. Sendo assim, havendo realmente a necessidade de ser realizado o tratamento de canal do dente e a prótese já estiver sido cimentada, ela deverá ser removida. O tratamento sendo realizado, uma nova prótese deverá ser confeccionada.

Quando a prótese parcial fixa não pode ser utilizada

Já que estamos falando de próteses parciais, é importante ressaltar a necessidade de ter um número de dentes de suporte suficiente para fixar a prótese. Não havendo, este tipo de prótese não é indicado, pois pode ser que não consiga se fixar.

As próteses unitárias, por exemplo, necessitam de uma estrutura do dente remanescente para que haja uma boa fixação. Outros pontos também devem ser observados pelo dentista, tais como os princípios biomecânicos, os quais garantem a retenção, a resistência e a estabilidade.

Higiene

prótese parcial fixa

As próteses são dentes artificiais instalados em nossa boca. Logo, a sua higiene deve ser igual à que fazemos com os dentes naturais. A escovação e o uso de fio dental são fundamentais para preservar a saúde bucal.

Uma vez que a Prótese Parcial Fixa é confeccionada de metal ou de porcelana ela também está sujeita às cáries. O acúmulo de placa no encontro entre o dente e a gengiva ocorre da mesma forma como em um dente natural.

Algumas escovas de dentes podem facilitar o processo de escovação e garantir uma higiene bem feita. Por exemplo, as escovas de dente interdentais, específicas para quem possui dentes muito unidos, e as de tufo, as quais são indicadas para que se possa fazer a higiene adequada entre a prótese e o dente de suporte.

Não menos importante, é válido frisar o uso do fio dental ou da fita dental, ambos auxiliam na perfeita higienização da área inferior dos dentes unidos pelas próteses.

Sendo assim, uma limpeza bem feita pode garantir uma boca livre de problemas periodontais, como a periodontite e a gengivite, e de cáries secundárias na região. Este também é o caminho para prolongar a longevidade da prótese.

Indispensável, também, são as visitas periódicas ao dentista. Elas devem ser feitas a cada seis meses, no mínimo. Estes momentos são importantes, pois são neles que o dentista faz a profilaxia de rotinas, exames radiológicos e avalia a adaptação e a remoção de tártaro, se for o caso.

De que são feitas as próteses parciais físicas

As próteses podem ser feitas de materiais diferentes. Dentre os mais utilizados estão os metais com porcelana, a porcelana pura e há, também, a infraestrutura livre de metal. Entre elas, a mais resistente é a de metal com porcelana, uma vez que este material não sofre alteração de cor com o passar do tempo, tem excelente durabilidade e é muito resistente ao desgaste.

Por sua vez, as próteses de porcelana pura apresentam melhor resultado estético, com grande translucidez, muito semelhantes às dos dentes naturais. Também ganham destaque por serem muito mais resistentes, terem ótima durabilidade e não mudam de cor com o tempo.

As próteses confeccionadas em metal-resina, apesar de a estrutura ser metálica e extremamente durável, sofrem enorme desgaste com o tempo e apresentam uma leve alteração na cor.

 

Você também vai gostar de ler