Entenda como funciona o consultório odontológico compartilhado e quais suas vantagens

Consultório odontológico compartilhado

25/06/2021 | Por: Odonto Busca Conteúdo

Você já ouviu falar de consultório odontológico compartilhado? Também conhecido por coworking odontológico, esse formato de trabalho vem sendo considerado uma das tendências do segmento, por mais que ainda seja novidade para muitos.

Isso porque, além de permitir uma atuação mais prática, flexível e autônoma, é visto como uma opção para quem deseja ter mais tempo para conquistar sua clientela e reunir recursos para só depois investir no próprio negócio de maneira menos arriscada.

Odontólogo, cadastre-se e garanta seu lugar entre os melhores profissionais do país. Seja visto mais vezes por clientes em potencial da sua região.

Paciente, crie a sua conta e tenha acesso a centenas de profissionais, em todas as regiões do país, para marcar a sua consulta com praticidade.

E é justamente sobre o consultório odontológico compartilhado que falaremos nesse artigo. Além de entender o que é e como funciona esse espaço, você vai descobrir para que tipo de profissional ele é uma boa opção, suas vantagens e muito mais.

Confira tudo que será abordado sobre o tema:

  • Entenda o que é o consultório odontológico compartilhado
  • Como funciona esse espaço colaborativo
  • A quem se destina
  • Serviços inclusos no consultório odontológico compartilhado
  • Formatos de locações para todos os gostos e bolsos
  • Conheça as vantagens desse formato de trabalho
  • Alugar um espaço particular ou aderir ao consultório odontológico compartilhado?
  • O que considerar na hora de escolher um coworking odontológico

Entenda o que é o consultório odontológico compartilhado

Você, com certeza, já deve ter escutado falar por aí do coworking, um formato de trabalho que consiste justamente no compartilhamento de espaço e recursos de escritório.

Até pouco tempo atrás esse modelo era mais associado a profissionais como advogados, vendedores, comunicadores e autônomos, de forma geral.

Mas de um tempo para cá, essa ideia vem se popularizando e se estendendo a outros ramos de atuação, como a odontologia.

E o consultório odontológico compartilhado segue essa mesma linha: vários dentistas no mesmo ambiente, mas atuando de forma individual e independente.

Ou seja, em um único espaço colaborativo, mas em salas individuais onde cada cirurgião-dentista possa realizar seus atendimentos.

Isso contando com toda estrutura e equipamentos necessários para a execução do seu trabalho.

Veja também: Consultório odontológico portátil: saiba mais sobre essa grande tendência do mercado

Como funciona esse espaço colaborativo

Conforme veremos adiante, existem diferentes formatos de coworking odontológico, inclusive no que diz respeito aos serviços oferecidos e às formas de cobrança.

Mas, de forma geral, o profissional dentista aluga o consultório odontológico compartilhado pelo tempo que deseja e ali atende seus pacientes temporariamente.

O cirurgião-dentista geralmente pode escolher se deseja reservar o espaço por período, turno ou diária e, inclusive, fechar planos mensais ou até anuais para seu uso.

Essa taxa já inclui todos os custos de manutenção e gastos fixos, como aluguel, condomínio, IPTU, água, energia, internet, telefone, equipamentos, colaboradores e muito mais.

O que significa que todos os usuários, em conjunto, pagam pelas despesas de uso comum.

Nada mais justo não é mesmo? Afinal a ideia é justamente usar o espaço de forma colaborativa.

A quem se destina

consultório odontológico compartilhado

O consultório odontológico compartilhado é uma boa opção, sobretudo, para profissionais recém formados

O consultório odontológico compartilhado tende a ser uma opção vantajosa, em primeiro lugar, para os profissionais dentistas que acabaram de se formar.

Ou até mesmo para quem está no início da carreira e ainda não tem uma clientela fixa.

Ou para aqueles que até tem um número de clientes satisfatório, mas deseja alavancar a carreira antes de investir no seu próprio espaço.

O mesmo vale para os profissionais que não possuem um espaço físico para seus atendimentos, por qualquer motivo que seja, e precisam de um ambiente corporativo para isso.

Também é uma alternativa para quem não simpatiza com a ideia de ser funcionário ou ter uma sociedade e prefere trabalhar por conta própria e atuar sozinho, com mais autonomia e liberdade de horário.

Assim como para aqueles que não têm condições financeiras para estruturar um consultório próprio e inclusive mantê-lo.

É uma possibilidade, ainda, para quem deseja realizar atendimentos em uma determinada cidade ou região por um período de tempo específico.

Como é o caso de especialistas que viajam para ministrar cursos e aproveitam para tirar algumas semanas e realizar alguns atendimentos no local.

Veja também: Tudo sobre captação de clientes na odontologia

Serviços inclusos no consultório odontológico compartilhado

Uma das grandes vantagens do consultório odontológico compartilhado é justamente o fato de se ter diferentes ambientes e serviços à disposição do profissional e também do cliente.

A começar pelos serviços de recepção e secretariado que muitos espaços oferecem.

O que significa agendamento, reagendamento e confirmação de consultas, além de recebimento dos pagamentos dos pacientes.

A limpeza dos consultórios e das áreas comuns e a segurança reforçada, muitas vezes prestadas por empresas terceirizadas, também é outro ponto positivo.

Sem contar toda a infraestrutura das salas de atendimento, que já são equipadas com aparelhos modernos e indispensáveis para as consultas.

Como cadeira odontológica, raio-x, fotopolimerizador e muito mais.

Alguns, inclusive, chegam a disponibilizar instrumentais e materiais de uso comum para locação.

Além do serviço de esterilização e até um auxiliar de consultório odontológico, por um custo extra.

Além de wi-fi e copa com água, chá, café e revistas. E estacionamento privativo, alguns inclusive com serviço de valet.

Formatos de locações para todos os gostos e bolsos

Por mais que a proposta seja a mesma e a estrutura semelhante, existem diferentes formatos de locações. Confira os mais comuns:

  • Aluguel por hora ou período: também chamado de pay per use, neste caso o cirurgião-dentista efetua o pagamento de uma taxa referente ao período que irá utilizar a sala, mesmo que seja apenas por algumas horas. É uma opção para quem tem poucos atendimentos agendados ou para quem tem tempo reduzido.
  • Aluguel por dia de uso: também conhecido como day-use, é quando o profissional dentista aluga o espaço somente por determinado dia. É uma alternativa bastante adotada por quem deseja concentrar suas consultas em dias específicos.
  • Aluguel mensal: neste caso, o profissional dentista paga um valor mensal pelo uso integral da sala. É uma boa opção para quem já tem um número relevante de clientes ou deseja se dedicar mais profundamente aos atendimentos.

Conheça as vantagens desse formato de trabalho

Consultório odontológico compartilhado

Acesso facilitado a imóveis de alto padrão e com localização privilegiada é uma das vantagens do coworking odontológico

Por mais que o consultório odontológico compartilhado ainda seja uma novidade para muitos cirurgiões-dentistas, é uma opção que vem chamando cada vez mais a atenção dos profissionais desse ramo.

Inclusive, pela série de vantagens que ele oferece. Confira algumas delas:

  • Ter à disposição uma estrutura moderna e pronta para atendimento sem precisar fazer um alto investimento financeiro com equipamentos e infraestrutura;
  • Flexibilidade para organizar a agenda conforme disponibilidade ou preferência;
  • Não possuir vínculo com nenhum estabelecimento, o que permite o profissional atender no consultório odontológico compartilhado quantas vezes quiser. E, inclusive, experimentar diferentes coworkings;
  • Contratação do serviço de forma facilitada e automatizada, na maior parte das vezes. O que significa cadastro, locação e pagamento por meio de um sistema;
  • Os custos são compartilhados, o que possibilita uma maior lucratividade;
  • Excelente custo benefício, já que inclui várias despesas e diferentes tipos de serviços em uma única taxa, que costuma ser atraente;
  • Possibilita que os dentistas formem sua própria cartela de clientes, sem depender da clínica para qual presta serviço;
  • Recebimento do valor integral da consulta, já que não precisa repassar qualquer porcentagem para o espaço, diferente do que acontece em algumas clínicas;
  • Permite que os profissionais reduzam seus custos, cresçam profissionalmente e se estabilizem;
  • Ambiente favorável para interação, networking, parcerias e trocas de experiências e conhecimentos;
  • Não precisar se preocupar com questões administrativas e burocráticas, já que existe uma equipe responsável pela gestão do consultório odontológico compartilhado;
  • Acesso facilitado a imóveis de alto padrão, seguros e com localização privilegiada e acesso facilitado;

Alugar um espaço particular ou aderir ao consultório odontológico compartilhado?

Se mesmo diante de tudo que foi apresentado, você ainda está na dúvida se vale a pena aderir ao espaço colaborativo ou se é melhor recorrer ao formato tradicional, você precisa ter em mente algumas coisas.

A primeira é que, por mais que o consultório ou até clínica própria seja o sonho de muita gente, nem todo mundo consegue por limitações financeiras.

Dar um passo maior do que a perna pode significar, além de prejuízos financeiros por um longo tempo, até mesmo precisar abandonar a profissão.

O consultório odontológico compartilhado pode ajudar neste quesito, mesmo que temporariamente.

Já que o espaço está pronto para uso e o profissional acaba tendo a chance de garantir uma melhor rentabilidade.

O que no futuro pode significar investir no seu próprio negócio com mais condições e segurança.

Além disso, quando se aluga uma sala em uma clínica, o profissional deve pagar o aluguel independentemente da quantidade de atendimentos que conseguiu realizar naquele mês.

O que acaba exigindo que o dentista tenha uma clientela regular para as despesas não serem maiores do que a receita.

No coworking odontológico, o pagamento é feito conforme o uso e o profissional escolhe o plano que melhor se adequa à sua realidade.

Por outro lado, o consultório odontológico compartilhado costuma desagradar por ser um ambiente mais neutro e padrão, sem muito a ver com o profissional.

E também pela dificuldade em remarcar consultas de pacientes, já que depende da disponibilidade do espaço.

Veja também: Consultório odontológico: Conheça nossas dicas para montar o seu!

Consultório odontológico infantil: conheça os detalhes que fazem a diferença

O que considerar na hora de escolher um coworking odontológico

Além de analisar os prós e os contras dessas duas opções, o profissional dentista também deve analisar seu perfil e ambições profissionais.

Isso porque há pessoas que preferem ser funcionárias para não precisarem se preocupar com burocracias e garantir uma renda fixa e benefícios.

Assim como seu orçamento, já que nem sempre o dinheiro disponível para investimento também é capaz de custear as despesas fixas.

Mas caso você decida pelo consultório odontológico compartilhado, é preciso avaliar alguns pontos.

Como observar as instalações do local escolhido, se o espaço possui todos os equipamentos que você precisa para realizar seus atendimentos.

Além de analisar os tipos de serviços que estão inclusos, o que demanda custo extra, se a limpeza é adequada, se há segurança, etc.

Sem esquecer de se colocar no lugar do cliente e dar atenção especial ao seu conforto e satisfação.

Vale, inclusive, pesquisar a reputação do local e buscar conhecer as avaliações dos colegas de profissão.

Também é importante conhecer todas as opções de pacotes e analisar qual combina mais com sua realidade, considerando número de clientes e rentabilidade.

E aí, acha que o consultório odontológico compartilhado pode ser uma boa opção para o seu caso?

Você também vai gostar de ler