Entenda o que é e como funciona o clareamento interno

clareamento interno

16/06/2021 | Por: Odonto Busca Conteúdo

Não é novidade para ninguém que o clareamento dental é um dos procedimentos estéticos mais procurados no consultório odontológico.

O que muita gente ainda não sabe é que, além do clareamento dental a laser e do clareamento dental com moldeira, existe uma técnica específica que leva o nome de clareamento interno.

E que, por mais que sua finalidade seja branquear os dentes, assim como os demais métodos, ela não é realizada na superfície dentária.

Odontólogo, cadastre-se e garanta seu lugar entre os melhores profissionais do país. Seja visto mais vezes por clientes em potencial da sua região.

Paciente, crie a sua conta e tenha acesso a centenas de profissionais, em todas as regiões do país, para marcar a sua consulta com praticidade.

Pelo nome, já dá para ter uma ideia do que se trata, não é mesmo?

Mas nesse artigo, você vai entender mais a fundo o que é o clareamento interno, seus prós e contras, em quais casos ele é indicado e como o procedimento funciona na prática.

O que podemos adiantar é que se trata de uma técnica conservadora, segura, e de menor custo, que tem sido motivo de grande satisfação entre os pacientes que passam por esse tipo de procedimento.

Veja tudo que será abordado sobre o assunto:

  • Entenda o que é o clareamento interno
  • Em quais casos o clareamento interno é indicado
  • As três formas básicas de realizar o clareamento endógeno
  • Mas, antes, uma avaliação completa do quadro
  • Como o procedimento é realizado na prática
  • Os prós e contras do clareamento interno
  • E quando o clareamento interno não é a melhor opção?
  • Clareamento interno também demanda alguns cuidados especiais

Entenda o que é o clareamento interno

Apesar de ser conhecido por pouca gente, o clareamento interno tem a mesma finalidade da técnica convencional: devolver a cor natural dos dentes e melhorar a estética do sorriso.

Também intitulado de clareamento endógeno, tem como principal diferença o fato de ser utilizado somente em casos específicos, conforme veremos adiante.

Mas já adiantamos que é um tratamento voltado principalmente para dentes desvitais, ou seja, que passaram pelo tratamento de canal.

Se diferencia também pela sua forma de condução, já que o agente clareador é aplicado na parte interna do dente e não na superfície, como acontece no clareamento tradicional.

Mas não há com o que se preocupar, pois o procedimento preserva os tecidos dentais e não altera a forma e nem textura do dente.

Isso acontece porque a técnica utiliza o mesmo acesso usado na endodontia e desgasta apenas o suficiente para limpeza no sistema de canais.

Sendo considerada, portanto, segura, conservadora e uma excelente opção para os casos em que o clareamento tradicional não consegue restabelecer a coloração natural do sorriso.

Em quais casos o clareamento interno é indicado

O clareamento interno é uma técnica voltada, em primeiro lugar, para pacientes que enfrentam problemas de socialização e autoestima por conta de escurecimento dentário.

Principalmente quando um dente destoa dos demais ou quando o clareamento convencional, seja a laser ou com moldeira, não consegue solucionar o problema.

Apesar de que o clareamento interno também pode ser realizado como complemento da técnica tradicional.

Clareamento dental a laser: como funciona, prós, contras e riscos

Clareamento dental com moldeira: uma opção segura, prática e acessível

É destinado, sobretudo, para dentes que já passaram por tratamento endodôntico, popularmente conhecido como tratamento de canal.

Para quem não sabe, traumatismo, derramamento de sangue na parte de interna, materiais restauradores, como o amálgama, e limpeza inadequada após o término do procedimento estão entre os fatores que costumam causar esse escurecimento.

Além de fatores sistêmicos, tais como porfiria congênita, hepatite neonatal, amelogênese e dentinogênese imperfeitas, fluorose, derivados da tetraciclina, escurecimento fisiológico e hipoplasia de esmalte.

Entenda o que é a fluorose e quais são seus efeitos no esmalte dos dentes

Também é indicado para pacientes que sofreram algum tipo de fratura dental que tenha provocado hemorragias internas ou necrose na polpa.

Lembrando que o procedimento garante melhores resultados em pacientes jovens com escurecimentos recentes.

E em dentes com integridade estrutural, cujos elementos vizinhos não tenham restaurações ou próteses.

E por mais que não exista restrição de idade, o ápice dentário precisa estar formado para que o clareamento interno seja realizado.

As três formas básicas de realizar o clareamento endógeno

Existem três formas para realização do clareamento interno: mediata, imediata ou mista, sem descartar a possibilidade de associação de procedimentos.

Na mediata, o agente clareador é aplicado no interior da câmara pulpar por um período que vai de três a sete dias e trocado até que a cor desejada seja obtida.

Já na imediata, o produto também é inserido na parte interna do dente e, ainda, sobre a superfície vestibular do elemento dentário.

Neste caso, o resultado é obtido após protocolo clínico, seja fotoassistido ou não. Por fim, a técnica mista é a combinação das outras duas.

Mas, antes, uma avaliação completa do quadro

clareamento interno

Antes de iniciar o tratamento, o paciente passar por exames clínico e radiográfico para avaliar se existe realmente indicação de realização

Antes de iniciar o clareamento interno, o paciente deve passar por uma avaliação completa do quadro. O que inclui exame clínico e radiográfico para um correto diagnóstico.

Nesta etapa, o profissional dentista também verifica se há algum dente necrosado. Em caso afirmativo, o paciente deverá passar por um tratamento endodôntico antes.

No caso dos pacientes que já realizaram o tratamento de canal, o cirurgião-dentista avalia a qualidade do serviço e analisa se há ou não necessidade de retratamento.

Também é verificado se o paciente conta com uma abertura endodôntica conservadora e boa estrutura dentária remanescente.

E, quando o clareamento interno é realmente indicado, o paciente passar por uma profilaxia odontológica antes.

E, posteriormente, o registro da tonalidade dos dentes é realizado, por meio de escalas de cor e/ou fotografia, para acompanhar a evolução do tratamento.

Como o procedimento é realizado na prática

Em simples palavras, o dentista faz uma abertura na parte de trás do dente para ter acesso à parte escurecida que passará pelo clareamento interno.

Essa porção interna da coroa passa por uma limpeza e preparo. E, posteriormente, uma proteção é feita na entrada do canal, com cimento de ionômero de vidro ou resina composta.

Em seguida, o agente clareador é aplicado e ali permanece pelo período estabelecido pelo profissional dentista.

O produto é trocado semanalmente até atingir a cor desejada, mas, em geral, o procedimento é feito em uma, duas ou três sessões.

Há casos, inclusive, em que a luz de LED é utilizada para potencializar a ação e garantir resultados mais rápidos.

Importante destacar, ainda, que o procedimento utiliza substâncias com elevado potencial de liberação de oxigênio.

Tais como peróxido de carbamida ou de hidrogênio, perborato de sódio diluído em água destilada e cristal de ureia.

Os prós e contras do clareamento interno

O clareamento interno chama atenção, primeiramente, por se tratar de uma técnica simples, segura e de baixo custo para deixar os dentes mais brancos.

Além de ser considerada uma solução estética conservadora, já que o processo é feito internamente e não promove desgastes no esmalte dentário.

Se apresenta, ainda, como um método eficaz e de resultados rápidos e satisfatórios, sobretudo no que diz respeito aos ganhos estéticos.

E não costuma oferecer riscos ao paciente, quando bem indicado e realizado por um profissional capacitado e experiente.

Por outro lado, em caso de desgastes adicionais, pode causar sim prejuízos estéticos e ainda comprometer a resistência dental.

E em casos de pacientes cujos dentes permaneceram escurecidos por um longo período, também existe um alto índice de recidiva.

Alguns profissionais ainda costumam apontar a possibilidade de reabsorção radicular externa, principalmente quando o agente clareador atinge o periodonto lateral.

E quando o clareamento interno não é a melhor opção?

clareamento interno

Nos casos em que o clareamento convencional não surte efeito e o clareamento interno não é indicado, as facetas ou lentes de contato dentais podem ser a melhor opção

Você deve estar se perguntando o que fazer quando a técnica convencional não surtir efeito.

E o clareamento interno também não for indicado pelo profissional dentista, como acontece em pacientes com próteses na região anterior.

Nesses casos, geralmente a alternativa é optar pelas facetas de porcelana ou lentes de contato dentais.

Um tratamento indolor e realizado em poucas sessões que consiste na colocação de próteses ultrafinas na superfície dentária para restabelecer suas funções estética e funcional.

Enquanto as lentes de contato são mais finas, as facetas costumam ser destinadas para casos mais graves de manchas, dentes com múltiplas restaurações ou preparos mais amplos.

Veja também: Facetas dentárias de resina ou porcelana: qual é a melhor?
Lentes de contato dentais: descubra se elas são uma boa opção para você

Clareamento interno também demanda alguns cuidados especiais

Assim como acontece no clareamento convencional, o paciente que é submetido ao clareamento interno também deve tomar alguns cuidados.

A começar evitando o consumo de alimentos e bebidas pigmentadas, com coloração forte e muita acidez, sobretudo durante o procedimento.

Como, por exemplo, vinho, beterraba, açafrão, café, açaí, shoyu, suco de uva integral, molho pronto, chá, refrigerantes, entre outros.

Também é aconselhável reduzir o consumo de bebidas alcoólicas e de cigarro.

Aliás, para quem deseja manter o resultado do clareamento por mais tempo, o ideal mesmo é abandonar o tabagismo.

Dependendo da técnica de clareamento interno adotada, alguns profissionais ainda recomendam não mastigar com os dentes que estão em tratamento, principalmente enquanto houver restauração provisória.

Você também vai gostar de ler