Clareamento dental prejudica o esmalte dos dentes?

Clareamento dental prejudica o esmalte dos dentes

08/06/2021 | Por: Odonto Busca Conteúdo

O clareamento dental prejudica o esmalte dos dentes? Essa é uma das dúvidas comuns quando se trata do procedimento que visa deixar os dentes brancos e o sorriso perfeito.

Por mais que o tratamento de clareamento dos dentes seja um dos procedimentos estéticos mais procurados nos consultórios odontológicos, muitas pessoas ainda têm dúvidas ao seu respeito.

Questionamentos, inclusive, que muitas vezes podem inviabilizar a realização do tratamento para algumas pessoas.

Odontólogo, cadastre-se e garanta seu lugar entre os melhores profissionais do país. Seja visto mais vezes por clientes em potencial da sua região.

Paciente, crie a sua conta e tenha acesso a centenas de profissionais, em todas as regiões do país, para marcar a sua consulta com praticidade.

É por isso que, nesse artigo, iremos abordar essa questão, especificamente, além de esclarecer como o clareamento dental acontece, de fato, e em quais casos ele pode apresentar riscos.

Veja tudo que será abordado sobre o assunto:

  • Clareamento dental prejudica o esmalte dos dentes? Verdade ou mito?
  • Clareamento dental é um processo puramente químico
  • O que é o ponto de saturação
  • Mas, afinal, o clareamento dental prejudica o esmalte dos dentes ou não?
  • Lembrando que, para toda regra, existe uma exceção
  • O perigo das receitas caseiras de clareamento também merece atenção
  • O que fazer quando o clareamento dental prejudica o esmalte dos dentes
  • Cuidados que podem minimizar este e outros riscos

Clareamento dental prejudica o esmalte dos dentes? Verdade ou mito?

Dentes brancos e sorriso perfeito é o sonho de quase todo mundo, não é mesmo?

E quando existe um procedimento minimamente invasivo e acessível financeiramente no mercado para tornar esse sonho realidade, você logo pensa que não há mais motivos para adiar a transformação.

O problema é que quando começamos a buscar mais detalhes sobre esse tratamento, que é o clareamento dental, ouvimos de tudo.

Tanto as opiniões de pessoas que garantem não ter nada para reclamar, quanto as críticas de outras que chegam a dizer que se arrependeram de realizar o clareamento.

Entre as reclamações, as principais são: “clareamento dental a laser dói” e “clareamento deixa os dentes sensíveis”.

Mas quando se ouve que o clareamento dental prejudica o esmalte dos dentes, o receio se torna ainda maior.

Afinal, será mesmo que vale a pena arriscar a estrutura do dente por conta de um procedimento meramente estético? O famoso “mexer em quem está quieto”?

É sobre isso que falaremos neste artigo. Mas já adiantamentos que muita coisa costuma estar por trás desse tipo de depoimento, conforme veremos adiante.

Até porque existem diferentes métodos de clareamento dental, que utilizam os mais variados materiais. Então o que pode ser ruim para um, pode não ser para o outro.

Clareamento dental é um processo puramente químico

Antes de darmos a resposta para a pergunta “clareamento dental prejudica o esmalte dos dentes?”, é importante entender como acontece este processo, que é puramente químico.

Quando os dentes se encontram em um tom escurecido, amarelado ou até mesmo com manchas, significa que existem pigmentos impregnados por ali.

No momento em que o paciente passa por um tratamento de clareamento dental, o agente clareador, que geralmente é o peróxido de hidrogênio ou de carbamida, penetra a estrutura dentária a fim de clarear os dentes.

Ou seja, a substância passa pelo esmalte e entra na dentina para quebrar esses pigmentos, que são compostos por várias moléculas de carbono, em partes menores. Isso tudo por meio de uma oxidação dos pigmentos.

O que é o ponto de saturação

Clareamento dental prejudica o esmalte dos dentes

Quando não se respeita o ponto de saturação, clareamento dental pode sim prejudicar o esmalte dos dentes

Quando não existem mais moléculas para serem fragmentadas, significa que se chegou ao ponto de saturação, que é o limite de clareamento.

É por isso que alguns pacientes, mesmo passando pelo procedimento de clareamento dental, deixam de ver resultado no branqueamento.

Ao contrário do que muitos pensam, o clareamento dental não visa deixar os dentes super brancos.

Mas sim devolver a coloração original dos elementos dentários do paciente, que acabou ficando comprometida com o tempo ou em virtude de hábitos nocivos à saúde bucal.

Mas, afinal, o clareamento dental prejudica o esmalte dos dentes ou não?

Agora que você entendeu como o processo acontece, fica mais fácil abordar se o clareamento dental prejudica o esmalte dos dentes ou se isso não passa de um mito.

Como já mencionado anteriormente, o clareamento não é um processo abrasivo.

Ou seja, ele é composto apenas por uma reação química onde o gel clareador age nesses pigmentos impregnados responsáveis pelo escurecimento.

Não na estrutura dental, como muitos imaginam. Portanto, isso significa que este tipo de tratamento não tem o potencial de corroer ou desgastar os dentes e nem alterar sua estrutura.

É fato que o esmalte dentário até sofre um processo de desmineralização por conta de toda a acidez que está envolvida no procedimento.

Contudo, existe um fenômeno completamente natural que é responsável por sua remineralização, conforme veremos mais adiante.

Lembrando que, para toda regra, existe uma exceção

Por outro lado, é preciso deixar claro que, por mais que seja raro, existe sim a possibilidade de o clareamento dental prejudicar o esmalte dos dentes.

Sobretudo se o tratamento for mal planejado ou mal executado. Como, por exemplo, em casos em que o procedimento é realizado repetidamente ou quando há uso irracional dos agentes clareadores.

Assim como quando não há indicação do dentista e o paciente conduz o tratamento por conta própria.

Quando o paciente não segue as orientações profissionais à risca e, sobretudo, quando não se respeita o ponto de saturação, problemas também podem surgir.

Em casos em que o tempo de tratamento é excedido, por exemplo, as moléculas de carbono continuam sendo quebradas, o que pode atingir a matriz do esmalte dentário.

E, consequentemente, ocasionar na perda de estrutura dental. Lembrando que isso vale tanto para o clareamento caseiro, quanto para o profissional, realizado em consultório.

Clareamento dos dentes: Com qual frequência pode ser repetido?

O perigo das receitas caseiras de clareamento também merece atenção

Clareamento dental prejudica o esmalte dos dentes

Outro fator que pode prejudicar o esmalte dentário é o clareamento dental realizado sem acompanhamento profissional, como os que utilizam produtos caseiros e naturais

É importante destacar, ainda, os riscos das receitas caseiras para clareamento dos dentes, que podem ser facilmente encontradas na internet.

Diferente do clareamento dental com moldeira, que conta com o acompanhamento de um profissional dentista, o procedimento caseiro utiliza substâncias como bicarbonato de sódio, limão e água oxigenada, por exemplo.

E alguns desses produtos possuem sim efeito abrasivo. O que, além de não clarear efetivamente o dente, ainda promove uma espécie de polimento na superfície externa do dente.

O clareamento dental caseiro com bicarbonato, por exemplo, consegue remover apenas as manchas superficiais e de forma temporária.

Descubra se o clareamento dental caseiro com bicarbonato é seguro

E isso acontece porque a substância química atua na limpeza dos resíduos que ficam depositados no esmalte dentário.

Ou seja, seu uso pode sim prejudicar o esmalte dos dentes, dependendo da forma como o produto for utilizado.

Inclusive porque o produto não contém fluoreto, uma substância que ajuda no fortalecimento dos dentes e na prevenção das cáries.

O que fazer quando o clareamento dental prejudica o esmalte dos dentes

Casos em que o clareamento dental não é realizado da forma correta podem causar danos irreversíveis aos tecidos moles e aos dentes, como as alterações na superfície do esmalte.

A boa notícia é que, na maior parte das vezes, esses danos são mínimos e o paciente costuma se recuperar rapidamente após o encerramento do tratamento.

No que diz respeito ao processo natural de desmineralização que o esmalte dos dentes sofre durante o clareamento dental, por exemplo, a própria saliva se encarrega do processo de remineralização.

Isso porque ela conta com elementos calcificadores que ajudam a reconstituir o efeito deletério sobre os cristais dessa camada mais superficial, que é o esmalte.

Lembrando que é esperado algumas pessoas apresentarem uma certa sensibilidade dentária após o tratamento, em virtude dessa desmineralização superficial que naturalmente acontece.

Mas não há com o que se preocupar na maior parte das vezes, pois essa condição costuma ser temporária. Via de regra, o desconforto tende a passar em até 15 dias após o término do procedimento.

Cuidados que podem minimizar este e outros riscos

Mas se você também já se perguntou se o clareamento dental prejudica o esmalte dos dentes, é preciso ter em mente que alguns cuidados podem minimizar esse risco.

Em primeiro lugar, por mais que o clareamento dental seja um procedimento prático e seguro, ele precisa ser muito bem indicado.

Para quem não sabe, este tipo de tratamento não é recomendado para gestantes, mulheres que amamentam e crianças.

Assim como para adolescentes com menos de 16 anos. Afinal, o esmalte dos dentes costuma ser mais penetrado nesta faixa etária, o que pode favorecer o aparecimento de sensibilidade.

Quem tem cárie, doenças periodontais e outros problemas bucais também deve ter o cuidado de tratá-los antes de iniciar o clareamento.

É importante, ainda, sempre contar com a orientação e supervisão de um profissional dentista para realizar o clareamento dental, inclusive o caseiro.

Isso porque os riscos de danos são muito menores e pouco significativos quando todo o tratamento é acompanhado de perto por um odontólogo capacitado.

Sua experiência também garante que o tempo de clareamento não seja excedido, um dos principais fatores que causam prejuízos ao esmalte dos dentes.

Você também vai gostar de ler