Clareamento dental a laser dói?

preço clareamento dental

30/05/2021 | Por: Odonto Busca Conteúdo

Uma das preocupações mais recorrentes entre os pacientes que buscam dentes mais claros e um sorriso mais bonito é se o clareamento dental a laser dói.

E é justamente sobre isso que falaremos nesse artigo: até que ponto isso é verdade ou mito e o que pode causar esse tipo de desconforto.

Também abordaremos quais efeitos colaterais são esperados após o clareamento e como aliviar incômodos que, por ventura, podem surgir.

Odontólogo, cadastre-se e garanta seu lugar entre os melhores profissionais do país. Seja visto mais vezes por clientes em potencial da sua região.

Paciente, crie a sua conta e tenha acesso a centenas de profissionais, em todas as regiões do país, para marcar a sua consulta com praticidade

Confira tudo que será abordado sobre o assunto:

  • Clareamento dental a laser dói: de onde vem esse receio?
  • Como funciona o clareamento dental a laser
  • A pergunta que não quer calar: clareamento dental a laser dói ou não?
  • Contratempos durante o tratamento podem causar as temidas dores
  • Efeitos colaterais variam de paciente para paciente
  • Como aliviar as dores causadas pelo clareamento dental a laser
  • Então significa que o clareamento dental a laser dói, certo?

Clareamento dental a laser dói: de onde vem esse receio?

Para começar, é muito comum encontrarmos por aí pessoas com medo de dentista. Não é à toa que essa condição até ganhou nome: odontofobia.

E quando falamos de clareamento dental a laser, especificamente, é comum passar pela nossa cabeça aquela imagem do paciente sentado na cadeira do dentista.

Mas com óculos de segurança, dentes totalmente à mostra, geralmente graças à ajuda de um abridor bucal, e banhados por aquela luz azul típica dos procedimentos a laser.

Essa cena, por si só, já amedronta muita gente. E a situação pode ficar ainda pior quando algum conhecido comenta que passou a sentir incômodos após realizar o clareamento.

Depois disso tudo, nada mais natural do que se perguntar se o clareamento dental a laser dói ou não. E, ainda, se realmente vale a pena passar pelo procedimento por pura estética, não é mesmo?

Nesse artigo, você irá entender justamente se esta preocupação é legítima ou se isso tudo não passa de um mito.

Como funciona o clareamento dental a laser

Mas antes de tocarmos no ponto se o clareamento dental a laser dói ou não, é importante entender como funciona o procedimento.

Em primeiro lugar, o clareamento, de forma geral, é considerado um dos procedimentos odontológicos mais procurados por quem deseja um sorriso branquinho e arrebatador.

Ele ganha destaque, principalmente, por ser uma técnica segura, eficaz e acessível capaz de deixar os dentes mais claros e bonitos, por meio de diferentes métodos e materiais.

No que diz respeito ao clareamento dental a laser, especificamente, ele é executado completamente no consultório odontológico e geralmente é realizado em sessões de 40 minutos a uma hora.

De forma geral, são necessárias de uma a quatro sessões, conforme a situação do paciente e seu objetivo.

O profissional dentista inicia o tratamento com a aplicação do agente clareador na superfície externa dos dentes, sem a necessidade de anestesia.

E, em seguida, um laser de baixa intensidade é aplicado para ativar a propriedade clareadora da substância e potencializar o resultado, de forma que as manchas sejam removidas e a cor natural dos dentes seja devolvida.

A pergunta que não quer calar: clareamento dental a laser dói ou não?

Clareamento dental a laser dói

Por mais que o clareamento dental a laser aparenta ser desconfortável, ele é considerado um tratamento indolor

Mas, afinal, clareamento dental a laser dói ou não? A verdade é que esse método de branqueamento dos dentes é tido como indolor.

Contudo, alguns pacientes costumam sim relatar pontadas e dores agudas após o tratamento, sobretudo quando consomem alimentos ou bebidas quentes ou geladas demais.

Essa sensação costuma ser uma resposta aos estímulos provocados pelo gel clareador, que penetra no esmalte.

Bem como nos tecidos abaixo dele, que são intitulados canalículos dentinários, uma região repleta de nervos e, portanto, mais sensível.

Além disso, uma reação química de oxidação acontece durante o procedimento quando o peróxido de hidrogênio age para quebrar as ligações de pigmentos e clarear os dentes.

O que, consequentemente, causa uma desmineralização superficial dos elementos dentários, acarretando assim uma maior sensibilidade ou até hipersensibilidade, o que muitos definem como “dor”.

A boa notícia é que essa condição costuma ser temporária. Geralmente, o desconforto desaparece em torno de 15 dias após a realização do procedimento.

Principalmente se o paciente recorrer a alguns aliados para alívio da dor, conforme veremos mais à frente.

Mas existem sim situações em que o paciente pode chegar a sentir uma dor mais aguda, justificadas por outros motivos, conforme veremos a seguir.

Contratempos durante o tratamento podem causar as temidas dores

Por mais que o procedimento seja considerado indolor, o clareamento dental a laser dói sim se não for realizado corretamente.

E isso costuma acontecer, principalmente, em virtude do uso incorreto do gel clareador, que costuma ser à base de peróxido de hidrogênio, a famosa água oxigenada, ou de carbamida.

Seja pela concentração inadequada de substâncias químicas que podem irritar a gengiva e atingir a barreira de proteção do esmalte do dente, deixando a dentina mais exposta.

Ou pelo tempo em que o produto permanece em contato com os dentes, quando é superior ao recomendado.

Tratamentos de longa duração ou recorrentes também podem ser responsáveis pelas dores nos dentes, já que aumentam a porosidade do esmalte dentário.

Clareamento dos dentes: Com qual frequência pode ser repetido?

Além disso, quando o profissional deixa de colocar os equipamentos de proteção no paciente, o gel pode entrar em contato com a região próximo à gengiva e causar ferimentos nas mucosas, como queimaduras químicas.

O mesmo pode acontecer quando o clareamento é realizado sem supervisão profissional, como no caso da técnica caseira.

Outra situação que pode acontecer também é de o paciente iniciar o tratamento mesmo com problemas na gengiva, o que acaba favorecendo o surgimento de lesões na região, já que ela está vulnerável.

O maior risco é que, se o problema não for tratado, a inflamação pode atingir o tecido ósseo e o dente pode até vir a cair.

Efeitos colaterais variam de paciente para paciente

Além do modo como o processo do clareamento dental a laser é conduzido, é importante ter em mente que cada paciente responde de uma forma ao tratamento.

Portanto, é preciso considerar ainda a variabilidade de cada pessoa e suas condições individuais, inclusive no que diz respeito à estrutura dental.

Isso significa que, enquanto algumas pessoas não apresentam qualquer problema durante ou após o procedimento, outras podem sim relatar incômodos e desconfortos relevantes.

De forma geral, além da sensibilidade dentária temporária, que costuma ser relativamente comum após o clareamento, outros efeitos colaterais podem surgir.

Como, por exemplo, irritações nos tecidos moles, como a gengiva, que pode causar até mesmo sangramentos na região.

Além de danos no esmalte dentário, podendo prejudicar inclusive restaurações e próteses mais escuras, demandando a substituição das mesmas.

Como aliviar as dores causadas pelo clareamento dental a laser

Clareamento dental a laser dói

Cremes dentais específicos para dentes sensíveis ou géis dessensibilizantes e escovas ultra macias podem ajudar a aliviar as dores causadas pelo clareamento

Agora que você já sabe o que pode causar dor durante e até mesmo após o clareamento dental a laser, nada mais justo do que conhecer algumas medidas para aliviá-la.

Em primeiro lugar, conforme já mencionado anteriormente, quando realizado adequadamente, o procedimento é indolor.

Portanto, qualquer incômodo, sensibilidade ou dor devem ser relatados imediatamente ao profissional dentista que está acompanhamento o tratamento.

Em alguns casos, o paciente pode precisar usar um gel regenerador diário, à base de potássio, para estimular a regeneração óssea e melhorar a sensibilidade.

Ou até mesmo géis à base de fosfato de cálcio, que ajudam a fechar os túbulos dentinários e integrar a estrutura dental.

O flúor também costuma ser recomendado com o objetivo de remineralizar o esmalte dentário.

Outra opção é substituir a pasta de dente tradicional por cremes dentais específicos para dentes sensíveis ou géis dessensibilizantes.

E adotar escovas ultra macias para evitar lesões na gengiva e desgastes no esmalte dentário.

Além de evitar alimentos muito quentes, gelados, cítricos e ácidos nos primeiros dias após a realização do clareamento.

Contudo, é importante destacar que, em casos mais graves, como os de inflamação, até mesmo antibióticos e anti-inflamatórios podem se fazer necessários. E que problemas como a retração gengival, por exemplo, podem ser irreversíveis.

Então significa que o clareamento dental a laser dói, certo?

E para você que busca uma resposta curta e direta para a pergunta “clareamento dental a laser dói?”, sentimos muito informar, mas a resposta é: depende.

Isso significa que alguns pacientes podem não sentir nada, enquanto outros podem sim enfrentar quadros de dores durante o tratamento, conforme mencionado anteriormente. Mas nem por isso a situação é considerada normal.

Isso porque quando o paciente chega a sentir dor, geralmente é sinal de alerta de que algo não ocorreu conforme o esperado, já que o clareamento dental a laser é um procedimento tido como indolor.

Geralmente esse desconforto está associado à alta concentração de peróxido de hidrogênio ou carbamida no gel clareador. Ou ao tempo inadequado de utilização do produto.

Inclusive, ao contrário do que muitos pensam, não é o clareamento dental com moldeira que oferece mais riscos, tendo em vista a autonomia que o paciente tem para conduzir o processo.

Entenda o que é o clareamento caseiro e como ele é realizado

Mas sim o clareamento dental a laser, em virtude de sua alta concentração de substâncias químicas clareadoras. Não é à toa que o produto só deve ser utilizado por um profissional.

Portanto, mais do que perder tempo pensando se o clareamento dental a laser dói, o mais importante é procurar um odontólogo experiente e de confiança para realizar o procedimento.

Você também vai gostar de ler